Clique para um verso

A poesia ultrapassa barreiras. Alguns a transformam em música e livros, outros – mais antenados com os avanços tecnológicos – optam por levar mais lirismo ao mundo virtual. Chamados de poetas virtuais, emanam versos, prosas e trovas em blogs e páginas espalhadas pela internet.

 

A estudante de Artes Cênicas Marcia Regina se debandou para a poesia na web. Sempre que pode, arruma uma tempinho, entre o trabalho e os estudos, para se dedicar ao seu blog, Journal de Bagatelle. “É uma espécie de diário de bordo. Lá coloco fotos de minha autoria, livros que estou lendo, poemas e meus escritos. É uma forma de me expressar e preservar essa lembranças”, explica Marcia.

 

Para ela, o mundo virtual possibilitou conhecer pessoas de outros estados e países, além de outros brasilienses apaixonados por poemas. Junto com amigos, ela montou o blog Poesia Quadrada, inteiramente dedicado a Brasília. A página recebe atualizações frequentes sobre a capital. “Vale de tudo ao colocar as impressões sobre a cidade. Dos que a amam e também dos que a odeiam”, garante a estudante.

Publicidade

 

Amor ao teatro

 

Aos 13 anos, Lara Amaral começou a preencher caderninhos com poesias. Escrevia o que lhe vinha a cabeça. Aos 16, iniciou o blog Teatro da Vida. “Tenho fascínio pelo teatro, por sua capacidade de reunir as artes em geral e a poesia de uma forma bem completa e quase palpável”, diz Lara ao explicar o nome da página. Somando 14 anos como poetisa virtual, a estudante conta que não há pré-requisitos para escrever. “Meu jeito de ser me fez incorporar o mundo de forma diferente, tudo parecia querer sair pelos poros. Esse universo só ganhou forma quando comecei a escrever”, admite.

 

Teia de ideias e escritos

 

Lara Amaral comenta que conhece poucos poetas pessoalmente, já que a interação acontece mesmo é no mundo virtual. “Lemos, comentamos, indicamos. Quem gosta do nosso blog, acaba fazendo o mesmo. Rapidamente, uma grande teia é criada”, diz.

 

O contato com o mundo literário veio cedo, aos 12, quando conheceu Augusto dos Anjos. Mais tarde vieram Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade. “É difícil citar todos os poetas que mudaram a minha forma de estar no mundo, cada um nos pega de um jeito. Atualmente, a russa Anna Akhmatova é uma das que mais leio. Além de muitos colegas contemporâneos que acompanho”, pontua Amaral.

 

Inquietações

 

Há dez anos em Brasília, Lisa Alves também se aventura pelo mundo das letras online. A designer escreve desde que era adolescente. No início, a intenção era musicar as letras, mas com o tempo ela passou a escrever contos. “Percebi que aquilo era a forma para externar minhas inquietações e fantasias”, conta a designer, que escreve no blog A Fábula de Um Mundo Real.

 

Para ler

 

laramaral-teatrodavida.blogspot.com.br

lisaallves.blogspot.com.br

incontrolavelfascinio.blogspot.com.br

poesiaquadrada.blogspot.com.br

consideracaodopoema.blogspot.com

 

Conectado na web 

 

Para o escritor  Fabrício Carpinejar, “a imaginação é também experiência. Ninguém encontra as palavras certas falando pouco”. Ele já lançou o livro www.twitter.com/carpinejar, onde reúne 416 frases feitas por ele e divulgadas na rede social.  “Escritor é neblina, literatura é para confundir”, admite.

 

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR