Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Brasiliense sobe no octógono neste domingo pelo UFC Phoenix

Matheus Garzon
redacao@grupojbr.com

Pelo terceiro final de semana seguido, Brasília terá um representante no octógono do UFC. Depois de, no dia 2, Renato Moicano perder para José Aldo e, no dia 10, Rani Yahya ser derrotado pelo norte-americano Ricky Simon, é a vez de Vicente Luque tentar quebrar o péssimo início de ano para o Distrito Federal. Para conseguir tal feito, o Assassino Silencioso, como é conhecido o candango, terá que derrubar o estadunidense Bryan Barberena no UFC Fight Night Phoenix, neste domingo (17), lutando no card principal de um evento que ainda contará com a estreia de Kron Gracie, filho do lendário Rickson Gracie, e a volta, depois de dois anos, do ex-campeão dos peso-pesados Caín Velasquez.

Se depender da vontade de Vicente Luque, a má fase da capital em 2019, que ainda conta com uma derrota de Vinícius Mamute em janeiro, acabará assim que ele subir no octógono. “Quero acabar com isso. A derrota faz parte do trabalho, mas nunca é o que a gente quer. Espero poder levar essa vitória para Brasília”, comenta o lutador.

O triunfo na noite de domingo, segundo ele, passa pela grande preparação que ele fez em solo candango. “Já faz três lutas que decidi fazer meu treinamento final perto da minha família e deixei de ficar viajando à Flórida. Consegui estruturar uma equipe muito boa em Brasília e, para mim, fez mais sentido continuar aqui do que ter que ir e voltar toda hora”, relata o peso meio-médio.

A decisão coincide com a boa fase do brasiliense. São três vitórias seguidas, duas por nocaute e outra por finalização. Esses resultados foram obtidos graças ao estilo agressivo dele, sempre evitando deixar a decisão na mão dos juízes. Do outro lado, Bryan Barberena também é conhecido por não fugir do combate. Na carreira ele acumula 14 vitórias, sendo 10 por ter deixado o oponente no chão. “Será uma luta boa. Eu vou procurar o nocaute e ele também. Temos um histórico parecido no MMA e acho que ganhará a luta quem estiver mais focado no dia”, avalia Luque.

Mesmo respeitando o adversário, o Assassino Silencioso não deixa de apontar algumas falhas de Barberena que ele pretende aproveitar. “Ele é um trocador. Acho que o próprio estilo dele me favorece: ataca muito e deixa brechas”, destaca.

Um ponto que o candango chama a atenção é o fato de o adversário da noite ser canhoto, o que requer um treinamento específico. “Para lutar contra um canhoto, é preciso treinar contra canhotos e foi exatamente o que fiz. Existe a coincidência de a minha última luta ter sido contra um cara assim (nocaute no primeiro round contra o estreante Jalin Turner), portanto estou bem à vontade para enfrentar o Bryan”, afirma o atleta que acumula sete vitórias em nove aparições no UFC.

Esta será mais um evento de grande visibilidade que o candango irá lutar. Em outubro, ele comemorou a oportunidade de estar, mesmo que nas preliminares, no UFC 229 em Las Vegas, onde a principal luta era o aguardado confronto entre o russo Khabib Nurmagomedov e o irlandês Conor McGregor.

Agora ele estará entre os combates principais de uma noite que contará com o retorno do ex-campeão dos peso-pesados Caín Velasquez depois de dois anos. “É uma grande plataforma para mim. É um reconhecimento do meu trabalho e mostra que a organização confia no que eu faço”, comemora.

Uma vitória, ele diz, pode fazer com que ele entre para o ranking dos pesos meio-médios. “Existe essa possibilidade. Se não entrar no ranking, pelo menos minha próxima luta deve ser contra um ranqueado, caso eu vença” comenta Vicente.

Estreia

Outra atração brasileira na noite é a estreia do filho de Rikson Gracie, o lendário lutador de jiu-jitsu e MMA, Kron Gracie. Ainda engatinhando no esporte, o brasileiro peso-pena acumula quatro vitórias nas quatro lutas de MMA que fez na carreira, todas por finalização. O adversário dele será o experiente norte-americano Alex Caceres que apesar de já ter 18 lutas no UFC, só ganhou nove.

Vicente Luque, que antecederá essa luta no card principal, diz esperar uma vitória do compatriota. “Tenho bastante expectativa com relação a ele. Apesar de ser novo, já vem mostrando que é um grande lutador de MMA”, diz.

 

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas