TRE divulga balanço parcial das eleições no DF

Lia Sahadi

lia.sahadi@jornaldebrasilia.com.br

O Distrito Federal bateu o recorde em apreensão de lixo eleitoral, segundo o juiz da Comissão de Fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Daniel Canachionni. Com aproximadamente 3 milhões de eleitores e 1.200 candidatos, apenas na noite de sábado (4), foram recolhidos mais de 35 toneladas de material como faixas, cavaletes e panfletos. Desde o início da campanha eleitoral, o DF já acumulou 350 toneladas, praticamente o dobro do estado de São Paulo – com 170 toneladas. 

Contando com uma equipe de três juízes e 20 servidores, Canachionni acredita que a enorme diferença de número de lixo eleitoral apreendido entre o DF e os demais estados se deve ao trabalho que a equipe tem realizado. “Conseguimos efetuar até o momento uma ação de excelência. Se hoje temos um altíssimo número, é porque temos trabalhado diariamente recolhendo as propagandas eleitorais das vias da cidade”, explicou o juiz. “Nas últimas eleições as fiscalizações de materiais ocorriam quinzenalmente, mudamos a estratégia e o resultado apareceu”, completou. 

Uma parceria com o Sistema de Limpeza Urbano (SLU) foi feita para que os materiais sejam recolhidos diariamente, evitando influenciar os eleitores. Todos os materiais recolhidos, serão destinados aos catadores de lixo e, em seguida, reciclado. Mesmo assim, as ruas da cidade amanheceram repletas de santinhos e panfletos.  

Leitores do Jornal de Brasília denunciaram a poluição feita por diversos candidatos. Para a biomédica Ana Paula Valverde, de 24 anos, tantos papeis nas ruas não condiz com as propostas eleitorais.  “Essa sujeira toda é um descaso, uma poluição visual tremenda. O político fala suas propostas, alguns até com causas ambientais, mas nos dias de votação tem seus santinhos espalhados no chão”, ressalta ela. “Que bom político é esse que permite a sujeira na sua cidade? Deveriam fazer uma política limpa em todos os sentidos”, indaga Ana Paula. 

De acordo com o TRE, cerca de 90% dos candidatos foram notificados por fazer propaganda eleitoral de maneira ilegal. As punições são multas que variam de R$2 a R$8 mil.  

Novo sistema

Sendo a primeira eleição com voto biométrico, todos os responsáveis estavam apreensivos. De acordo com o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, o desembargador Romão C. Oliveira, nesse primeiro turno 6.400 sessões estavam em funcionamento para atender a todos os eleitores. Dessas, 19 apresentaram dificuldade de colheita das digitais. 

No entanto, após análise dos técnicos em cinco urnas, constataram que em apenas uma havia problema técnico, nas outras, a falha havia sido erro humano.  O aposentado Antonio Araújo, de 62 anos, foi um dos que sofreram com o novo sistema. “Coloquei a minha digital sete vezes para o reconhecimento biométrico e somente na última tentativa deu certo”, contou ele. “Por ser a primeira vez, é passível de falha. Na seção há um pano pra retirar a oleosidade dos dedos para que não prejudique a leitura digital e identificação do leitor”, detalhou.

Das 640 urnas preparadas para a substituição, 120 foram usadas, de acordo com o TRE. Entre a leitura de uma digital e outra, o aparelho que faz o reconhecimento necessita de pelo menos oito segundos de intervalo. Tendo exatamente oito oportunidades de tentativa, cada eleitor, estaria demorando um minuto e quatro segundos para finalizar o voto. “Os problemas que surgem são inerentes a essa nova técnica (biometria). É naturalmente comum esses problemas”, afirmou o desembargador Romão. 

Nas zonas em que as urnas apresentaram problemas, o horário será estendido até às 18h30, no entanto, é necessário que o eleitor esteja na fila até às 17h. O maior tempo de espera na fila registrado até agora, não oficialmente, foi de uma hora e meia.

Cerca 34 mil voluntários entre mesários, supervisores e motoristas foram mobilizados para atender o Distrito Federal.  

Até às 13h30, mas da matade dos eleitores do DF já haviam votado.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR