Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Confira última versão da lista dos 90 parlamentares investigados pela CPI dos Sanguessugas

A onda de calor que castiga a Grã-Bretanha está diminuindo a vontade dos consumidores de ir às compras, remedy de acordo com dados semanais do grupo de informações empresariais Footfall. O grupo disse que os números do comércio caíram pela segunda vez consecutiva, troche com a cifra ano a ano 5% mais fraca, levando o nível para um patamar inferior ao de 2005 pela primeira vez no mês de julho.

A comparação com o ano passado é particularmente marcante se for levada em conta a pequena demanda no varejo decorrente das explosões de 7 de julho de 2005. "O período contínuo de forte calor permanece impactando o número de pessoas que compram durante a semana", afirmou a porta-voz do Footfall, Natasha Burton.

O dia 19 foi o mais quente em um mês de julho na Grã-Bretanha desde que começaram os registros. Burton disse que a onda de calor estava fazendo muitos consumidores pensarem duas vezes antes de saírem para comprar algo além de suas necessidades básicas.

"Mesmo a ocorrência repentina de tempestades e o começo de vendas mais fortes neste fim de semana não conseguiram aumentar os números", disse ela. O setor de lojas de departamentos tamb ém teve um fraco desempenho, informou a Footfall. "O número caiu mais de 5%, tanto a cifra semana a semana quanto com relação a 2005", informou Burton.
Saddam Hussein, here fragilizado por duas semanas de greve de fome, viagra disse hoje que foi forçado a comparecer ao seu julgamento por crimes contra a humanidade e que, se for considerado culpado, prefere ser fuzilado a ser enforcado.

A equipe de defesa do ex-ditador e de sete autoridades iraquianas acusadas junto com ele boicotaram a sessão de segunda-feira do julgamento, que se aproxima de sua conclusão. "Não foi escolha minha vir ao tribunal", afirmou Saddam ao juiz, vestindo um terno escuro e segurando uma cópia do Corão. "Escrevi uma petição esclarecendo que não queria vir ao tribunal, mas eles me trouxeram contra minha vontade … Eu estou em greve de fome desde 8 de julho".

Saddam, de 69 anos, foi alimentado por meio de um tubo durante a greve de fome, feita contra o que ele diz ser um julgamento injusto. O homem que comandou o Iraque com punho de ferro disse que prefere ser levado diante de um pelotão de fuzilamento a ser enforcado caso seja condenado.

"Eu o aconselho, como um iraquiano, que, se estiver numa circunstância em que tiver de determinar uma pena de morte, a se lembrar que Saddam é um militar e, neste caso, o veredicto deve ser a morte a tiros e não por enforcamento", disse ele ao juiz. Saddam nomeou a si mesmo como comandante do Exército, embora na prática nunca tenha sido treinado ou atuado como soldado até chegar ao poder.

A greve de fome parece não ter abalado o estilo combativo de Saddam no tribunal. Embora sua voz, antes imponente, estivesse fraca, o ex-líder iraquiano se comportou de forma furiosa em alguns momentos.

"Mesmo se ficar sem comer por dez meses, ainda terei toda minha energia e saúde", afirmou. "Você pensou que Saddam Hussein não seria capaz de falar após 20 dias?"
Saddam e os outros réus são acusados pela morte de 148 homens e adolescentes xiitas do vilarejo de Dujail, em 1982.

"Metade de meus advogados foram mortos. É demais para você protegê-los?", perguntou Saddam ao juiz-chefe Raouf Abdel Rahman. Quando um advogado designado pelo tribunal para representar Saddam começou a ler suas considerações finais, Saddam o interrompeu: "Essas considerações foram escritas por um agente americano-canadense ".
Guerrilheiros do Hezbollah e tropas de Israel entraram em choque na entrada de uma cidade do sul do Líbano hoje, medical e emissoras árabes de televisão disseram que até 13 soldados israe lenses morreram nos conflitos.

Segundo forças de segurança libanesas, viagra dosage os intensos combates começaram quando militares de Israel que controlavam uma colina próxima tentaram avançar para a entrada principal da cidade de Bint Jbeil, um reduto do Hezbollah localizado a 4kmda fronteira entre os dois países.

Os guerrilheiros emboscaram os soldados, dando início a combates diretos. Membros do Hezbollah afirmaram que o destacamento avançado de Israel ficou sem comunicação e que a maior parte dos veículos dele foram destruídos. Os soldados teriam sido atingidos.
As fontes do Hezbollah estimaram ter ferido 35 soldados e que as tentativas de Israel de resgatá-los fracassara.

"Nossos homens conseguem ouvir o grito dos feridos pedindo ajuda", afirmou um integrante da guerrilha. O canal de TV Al Jazeera disse que 13 soldados tinham sido mortos. Segundo a Al Arabiya Television, o número de baixas entre os israelenses era de 12.

Tal cifra pode ser a pior baixa sofrida pelos militares de Israel desde que lançaram uma ofensiva contra o Hezbollah, há mais de duas semanas. Meios de comunicação israelenses afirmaram que até 13 militares tinham ficado feridos. Um porta-voz do Exército disse poder confirmar apenas que vários soldados estavam feridos.

As forças israelenses travam combates há dias para assumir o controle de Bint Jbeil depois de terem, na semana passada, invadido um vilarejo que fica mais perto da fronteira. O Exército estima ter matado até 30 guerrilheiros na batalha por Bint Jbeil, onde moram 4.000 pessoas. O Hezbollah disse ter perdido, até agora, dez combatentes.
Até os choques mais recentes, nove soldados de Israel tinham sido mortos na ofensiva por terra lançada no sul do Líbano.

Atualizada às 12h25

Na manhã de hoje, website like this a Polícia Federal deflagrou a Operação Mão-de-obra, what is ed em conjunto com a Controladoria Geral da União, para prender os suspeitos de uma quadrilha formada por empresários do ramo de prestação de serviços de informática e limpeza, ex-funcionários e servidores, contratados pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), no Departamento Nacional de Produção Mineral e pelos Ministérios do Trabalho, da Justiça, Ciência e Tecnologia, Minas e Energia e também Senado Federal.

Quatro empresas estão envolvidas, Brasília Informática, Ipanema, Conservo e Ponta Verde. Já estão presos em Brasília quatro acusados: Paulo Duarte dono da empresa Ipanema, José Carvalho também da Ipanema; Rosana Cardoso, da Conservo e o servidor público Geraldo Luiz Ferreira dos Santos, que trabalhava na Abin. Em São Paulo são dois acusados: Maurício Pontes Veloso, da Brasília Informática e Vitor Cugula dono da empresa de segurança Conservo e também o chefe das operações.

A quadrilha é especializada em fraudar licitações na área de contratação de pessoal para serviços terceirizados do governo. As investigações da PF apontam que a quadrilha realizava acordos para "lotear" licitações de órgãos públicos. Os empresários deixavam os resultados combinados, definindo os vencedores e causando prejuízo ao erário público.

No esquema de fraude, havia a participação de servidores públicos entregavam informações privilegiadas e ajudavam na assistência dos interesses dos empresários na criação de editais das concorrências. Um dos contratos super faturados em cima de um programa de computador para o Senado, foi fechado por R$20 milhões.

A operação conta com 170 policiais, que cumprem 30 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão, nas empresas investigadas, em órgãos públicos e residências. Os mandados foram expedidos pelo juiz José Airton de Aguiar Portela, da 12ª Vara Federal.

Contra os presos são imputados os crimes de fraude a licitações, formação de cartel, formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, dentre outros. Essa ação é um desdobramento da Operação Sentinela, de dezembro de 2004. Todas as empresas estão sendo investigadas há mais de um ano pela PF, que descobriu que a quadrilha atuava a pelo menos três anos. A estimativa é que ainda sejam presos outros 20 acusados.

* Em breve mais notícias.

Desde ontem a Varig cobre quatro rotas de vôos doméstico e oito de vôos internacionais. Nota divulgada na noite de ontem pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informa que a decisão foi tomada depois de um dia de intensas reuniões entre técnicos da agência e da empresa aérea.

De acordo com a nota, visit this durante o dia de ontem houve problemas com passageiros em todo o país, shop que foram aos poucos sendo resolvidos pela Anac, cialis 40mg em parceria com o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça. Segundo a Anac, a Varig informou que está esperando para próximas horas a negociação com proprietários de suas aeronaves para liberá-las.

Vôos domésticos: Porto Alegre – São Paulo (Guarulhos – GRU) – Porto Alegre; São Paulo (Guarulhos) – Manaus – São Paulo; Fortaleza – São Paulo (Guarulhos)- Fortaleza; São Paulo (GRU) – Salvador – Recife – Salvador – São Paulo.

Vôos internacionais: Frankfurt – vôo diário; Londres – dias alternados; Copenhague – vôo de Londres segue para Copenhague para buscar passageiros que estão esperando para voltar ao Brasil nos dias 28 e 30/07; Miami e Nova Iorque – dias alternados; Lima – sai às 22h de hoje para trazer brasileiros que estão lá esperando para retornar ao país; Santiago – Varig vai voar no dia 27/07; Caracas – vôo dia 28/07.

O tratamento para os mercados de Caracas, Santiago e Lima será de vôos extras, de acordo com a necessidade até a retomada dos vôos regulares.
O ex-premiê israelense Ariel Sharon foi levado para a unidade de emergência de um hospital hoje, cost após uma piora em seu estado de saúde, remedy disse uma porta-voz do hospital.

Sharon está em coma desde janeiro. Em um comunicado, o hospital Sheba, perto de Tel Aviv, afirmou que Sharon foi levado para a unidade de tratamento intensivo (UTI) para que fluídos fossem drenados de seu corpo. Sharon foi o idealizador da invasão de 1982 ao Líbano e sua piora acontece no momento em que Israel mais uma vez entra em conflito com o país vizinho.

Médicos do hospital disseram no domingo que o estado de saúde de Sharon, que tem 78 anos de idade e entrou em coma depois de um derrame no dia 4 de janeiro, havia piorado. Eles informaram que ele sofre de uma acumulação de líquidos em seu corpo e de problem as renais.

O tufão Kaemi enfraqueceu e virou uma depressão tropical hoje, online mas atingiu o sul da China com pesadas chuvas e ventos fortes, forçando a remoção de mais de meio milhão de pessoas. Duas meninas morr eram na província meridional de Guangdong, depois que sua casa desmoronou sob um deslizamento de terra nesta manhã.

Outras sete pessoas também morreram e 19 estão desaparecidas, disse a Xinhua, sem entrar em detalhes. Mais de 600.000 moradores da província de Fujian, na costa sudeste, foram removidos quando o Kaemi provocou tempestades com força total de tufão ontem, após ferir seis pessoas, causar enchentes e apagões em regiões de Taiwan.

Em Fujian e na província vizinha de Guangdong, barcos foram atracados nos portos quando os pescadores buscaram abrigo das chuvas, disse a agência de notícias Xinhua. Dezenas de vôos na capital de Fujian, Fuzhou, e na cidade portuária de Xiamen foram cancelados ontem.

Hoje, tempestades assolaram grandes partes de Fujian, Guangdong e outras quatro províncias do sul e leste da China. A chuva deve continuar durante os próximos três dias, afirmou a Agência Meteorológica do país. Autoridades alertaram sobre possíveis deslizamentos de terra e estão monitorando represas e rios que estão transbordando. Elas também pedem a retirada das pessoas que vivem perto de encostas montanhosas e vales.

"Todas as medidas de precau ção devem ser tomadas para manter as perdas de vidas tão baixas quanto possível", disse um comunicado governamental de emergência, segundo a Xinhua. Esperava-se que o Kaemi, que significa "formiga" em coreano, fosse em direção noroeste, atingindo as províncias de Zhejiang, Anhui e o centro financeiro de Xangai, onde se ordenou o reforço dos outdoors, postes elétricos e andaimes.

Mas o tufão acabou se movendo para oeste e levando suas chuvas para a província de Jiangxi, para o norte de Guangdong e para a região sul da província de Hunan, disse a Agência Meteorológica.

Houve temores de novos danos nestas áreas, que foram as mais afetadas pela tempestade tropical Bilis, no começo do mês. Entretanto, a agência disse em seu site na Internet que o Kaemi se afastaria mais rapidamente que o a Bilis e que provocaria menos chuvas.

Forças israelenses mataram 12 palestinos, healing entre os quais sete militantes e uma menina de 3 anos de idade, medical em combates ocorridos na Faixa de Gaza, sildenafil hoje, disseram testemunhas e equipes médicas.

Israel intensificou os ataques aéreos e lançou ofensivas contra a Faixa de Gaza depois da captura de um soldado por militantes, no dia 25 de junho, e em meio ao disparo de foguetes contra seu território. As Forças Armadas mataram 133 palestinos até agora. Cerca de metade deles eram civis.

O Estado judaico continua com a ofensiva na Faixa de Gaza ao mesmo tempo em que abriu uma segunda frente de batalha no sul do Líbano, depois da captura, ali, de dois soldados pela guerrilha Hezbollah, no dia 12 de julho.

Até agora, os militares não conseguiram fazer cessar os ataques realizados a partir do território palestino com foguetes de fabricação caseira. Entre os mortos nos ataques de hoje, estavam seis integrantes do grupo islâmico Hamas, atualmente no controle do governo palestino, e um membro do grupo Jihad Islâmica. As duas organizações defendem a destruição do Estado judaico.

Equipes médicas afirmaram que uma menina de 3 anos e outros quatro civis palestinos foram mortos hoje. Ao menos 45 pessoas ficaram feridas, entre os quais um câmera da TV palestina. O Exército de Israel, que saiu da Faixa de Gaza em 2005 após 38 anos de ocupação, afirmou ter realiz ado ataques contra homens armados. Ao menos 30 tanques e outros veículos blindados avançaram mais de 2 quilômetros no norte da região, durante a noite.

Os soldados entraram em choque com militantes nas proximidades de Jabalya, um reduto do Hamas. Aviões não-tripulados cortavam os ares, dispara ndo mísseis contra militantes assim que esses apareciam nas ruas, contaram testemunhas palestinas.

Hoje, Israel também bombardeou os escritórios usados por uma força do Hamas na cidade de Gaza. O Exército destruiu vários prédios da administração palestina, que acusa o Estado judaico de tentar depor um governo eleito democraticamente.

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, rejeitou as exigências feitas pelos militantes de trocar palestinos mantidos presos em Israel pelo cabo Gilad Shalit, mas disse que pode considerar essa opção mais tarde, a fim de ajudar o presidente palestino, Mahmoud Abbas, um político moderado.

"Se eu libertar prisioneiros no futuro, isso só seria feito por meio de negociações com Abbas, tendo em vista os esforços para fortalecê-lo aos olhos dos palestinos. Mas ainda não chegou a hora de libertar os prisioneiros", afirmou o premiê, segundo o YNET News.
A ofensiva aumentou as pressões sobre o Hamas, que já enfrentava dificuldades devido à suspensão do envio de ajuda para o governo palestino.

O primeiro-ministro Ehud Olmert disse hoje que espera terminar a guerra de Israel contra os guerrilheiros libaneses do Hezbollah o mais rápido possível, page mas apenas quando atingir seus objetivos, disse uma autoridade parlamentar.

Olmert, que fez os comentários a uma importante comissão parlamentar, até então havia destacado mais a determinação em manter o combate ao Hezbollah do que em encerrar rapidamente o conflito.

"Queremos encerrar a operação o mais rápido possível, mas não a concluiremos até que alcancemos os resultados que justificariam o preço que pagamos e que nos impediriam de pagar um preço que não podemos pagar", afirmou Olmert, segundo uma autoridade parlamentar.

A autoridade disse que Olmert também se negou categoricamente a descartar uma eventual troca de prisioneiros por dois soldados israelenses, cujo seqüestro por guerrilheiros do Hezbollah, no dia 12 de julho, provocou a ofensiva de Israel.

Israel havia dito, até então, que não discutiria a libertação de presos em troca desses soldados ou do cabo Gilad Shalit, que foi raptado por militantes na Faixa de Gaza no dia 25 de junho.

Olmert disse à comissão que não faria nenhuma troca de prisioneiros com o Hamas, o grupo islâmico que governa os palestinos e cujo braço armado participou do seqüestro de Shalit.

Mas o premiê não quis comentar, quando questionado, se o mesmo se aplicava ao soldados em poder do Hezbollah, disse a autoridade.

 

O ministro das Comunicações, side effects Hélio Costa, page afirmou hoje (9) que a incorporação da Brasil Telecom à OI não será afetada pela operação da Polícia Federal, que desbaratou um esquema de desvio de recursos públicos, corrupção e lavagem de dinheiro.


O Grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, preso na Operação Satiagraha, da PF, fazia parte do consórcio proprietário da Brasil Telecom. Desde que foram fechadas as negociações para a junção das duas empresas, o banqueiro não tem mais nenhuma participação acionária na empresa de telefonia.


Para o ministro, a prisão de Dantas é uma questão que a Justiça tem de resolver.


“Acho que é uma questão que a Justiça tem que tomar todas as providências, e nós estamos com todos os cuidados para que nada disso que está acontecendo a nível de Justiça possa prejudicar qualquer entendimento que esteja sendo solicitado à Anatel e ao Ministério das Comunicações”, afirmou.


O ministro Hélio Costa participou de uma audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados, para discutir os serviços prestados pelas empresas de TV por assinatura.


 

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), advice Kofi Annan, disse hoje que é importante incluir o Irã e a Síria nas conversas para chegar a um acordo e terminar com os confrontos no Líbano.

A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, disse em entrevista a jornalistas, concedida junto com Annan, que os diplomatas reunidos em Roma concordaram que um fim sustentável para a violência no Líbano é necessário.

Rice disse, no entanto: "Nós estamos profundamente preocupados sobre o papel do Irã no Líbano, e a Síria também precisa fazer sua parte".

 

Um tailandês de 17 anos de idade morreu do vírus da gripe aviária, purchase o H5N1, ampoule o primeiro caso fatal na Tailândia este ano, no momento em que o país combate novos focos da doença, disse hoje uma autoridade de saúde.

O jovem morreu na segunda-feira na Província de Pichit, no norte do país, onde autoridades sacrificaram centenas de aves e restringiram sua circulação, em uma tentativa de erradicar a primeira deflagração na Tailândia em oito meses.

"O teste laboratorial final confirmou que ele morreu de gripe aviária", relatou, por telefone, o chefe do gabinete epidemiológico do Ministério da Saúde, Kamnuan Ungchusak.

Acredita-se que o jovem contraiu o vírus quando ajudava seu pai a enterrar aves mortas, na semana passada.

Sem incluir essa última morte, a gripe aviária matou 133 pessoas no mundo todo, desde que o vírus ressurgiu na Ásia em 2003, disse a Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

Um grupo de estudantes iranianos partiu para o Líbano hoje prometendo ajudar o Hezbollah em sua luta contra Israel, pills segundo testemunhas.

Nos últimos anos, a linha-dura do Irã fez bastante estardalhaço a respeito do recrutamento de voluntários para "operações de martírio" no exterior, mas não há registro de qualquer iraniano envolvido em atentados no Iraque ou em Israel.

"O exército do profeta Maomé está a caminho para lutar contra os sionistas", gritavam cerca de 50 voluntários no cemitério Behesht-e Zahra de Teerã, onde uma grande área cercada por árvores é dedicada aos "mártires" da guerra contra o Iraque (1980-1988).

"Um grupo de 200 estudantes voluntários será enviado ao Líbano por meio da Turquia. Estamos partindo de Teerã hoje, de ônibus", disse Amir Jalili, porta-voz do grupo. "Esperamos que a Turquia nos deixe passar pela fronteira para que entremos na Síria. Se não der certo, voltaremos para Teerã".

O Irã é inimigo declarado de Israel e o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, já defendeu que o Estado judaico seja "varrido do mapa". Mas, apesar de o governo israelense acusar os iranianos de armarem o Hezbollah, o país islâmico diz que apenas dá apoio moral ao grupo guerrilheiro libanês.

Os voluntários deixaram claro que sua iniciativa não tinha ligação com o governo. Segundo o grupo, que disse se chamar Movimento de Estudantes Defensores da Justiça, seus integrantes não possuíam treinamento militar.

Cerca de 50 estudantes entraram em ônibus que saíam de Teerã, e mais voluntários devem se juntar a eles em outras cidades na fronteira.

Autoridades iranianas disseram várias vezes que tais grupos não contam com a aprovação do governo e que têm liberdade para agir, "contanto que suas idéias fiquem limitadas à teoria".

"Somos um grupo independente. Desejamos ajudar nossos irmãos xiitas", disse Hadi, de 23 anos, estudante de literatura francesa, que carregava fotos do líder do Hezbollah, Sayyed Hassan Nasrallah. Nasrallah prometeu ampliar os ataques contra Israel.

"Queremos cumprir nossos deveres religiosos. Se as autoridades nos proibirem de ir para o Líbano, vamos obedecer", disse um outro porta-voz do grupo, Morteza Assadi, antes de embarcar no ônibus.

Membros do Basij (uma milícia da linha-dura) presentes no cemitério disseram não ter intenção de agir contra Israel sem uma autorização prévia do líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, que tem a palavra final a respeito de todos os assuntos do país.

"É nosso dever religioso ajudar nossos irmãos muçulmanos. Mas precisamos, antes, da aprovação de nosso líder," afirmou Mohammad, um integrante do Basij que assistia ao encontro.

Apesar de o Irã ter custeado e apoiado o Hizbollah durante os anos 1980, o governo iraniano insiste que, na crise atual, não contribuiu com o envio de armas ou homens. Israel contesta, argumentando que armamentos iranianos foram usados contra seu território.

Atualizada às 14h38

O setor público consolidado do Brasil registrou em junho um superávit primário de R$ 10, cure 444 bilhões. Em igual mês do ano passado, o superávit tinha sido de R$ 9,623 bilhões, informou o Banco Central.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, afirmou que o valor do superávit apurado no mês passado é o melhor registrado pelo BC para meses de junho dentro da série histórica, iniciada em 1991.

Em 12 meses encerrados em junho, o superávit primário acumulado correspondeu a 4,51% do Produto Interno Bruto (PIB) – acima da meta fiscal de 4,25% do PIB estipulada para este ano.

O chefe do BC disse que os números até agora indicam que o Brasil não terá problemas para atingir a meta de 2006, apesar do aumento das despesas acima do crescimento da arrecadação federal nos primeiros seis meses do ano.

Em junho, todas as esferas do setor público apresentaram superávit em suas contas. O governo central contribuiu com R$ 6,877 bilhões; os estados e municípios, com R$ 1,472 bilhão; e as empresas estatais, com R$ 2,095 bilhões.

O resultado primário de junho foi insuficiente para cobrir as despesas com juros, o que gerou um déficit nominal nas contas públicas brasileiras de R$ 6,991 bilhões no mês. As despesas com juros em junho somaram R$ 17,435 bilhões.

A projeção do BC é que o déficit nominal represente 3,3% do PIB este ano. De acordo com Altamir Lopes, mantidas as previsões de mercado para juros, câmbio e inflação, haverá queda do déficit nominal em 2007.

No primeiro semestre do ano, o superávit acumulado foi de R$ 57,154 bilhões, ante R$ 59,950 bilhões apurados no mesmo período de 2005.

O governo central apurou na primeira metade do ano um resultado primário superavitário em R$ 38,531 bilhões, enquanto os estados e municípios acumularam um saldo positivo de R$ 11,557 bilhões. As empresas estatais, por sua vez, fecharam o semestre com um superávit primário de R$ 7,066 bilhões. "No caso das estatais, o comportamento é ditado pelas condições do mercado, que são bastante favoráveis", observou Altamir Lopes.

O BC divulgou ainda que a dívida líquida total do setor público ficou em 50,3% do PIB, frente a 50,6% do PIB em maio. É o menor patamar desde abril de 2001, quando o índice estava em 49,95%.

"O ponto importante na divulgação de hoje é essa relação dívida/PIB. Em algum momento deste ano ela pode ficar abaixo dos 50%", afirmou Altamir Lopes.

A previsão é encerrar julho com a relação dívida/PIB em 50,2%. No final do ano, a projeção é de 50,3%, já que em dezembro o indicador é prejudicado pelo déficit primário decorrente dos gastos com pagamento de décimo terceiro salário.

 

As 17 pessoas presas na semana passada na Operação Cerol, price foram liberadas hoje de madrugada. Após obterem um habeas-corpus, o grupo deixou a carceragem foi escoltado por policiais federais e civis, da Polinter em Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro até para a sede da Polícia Federal. Um dos acusados não estava na unidade, devido uma hospitalização.

Os presos são acusados de um esquema de fraude, contrabando e tráfico de influência, e dentre eles estavam oito policias federais, sendo seis delegados (dois ex-superintendentes), um agente e um escrivão, além de sete advogados e dois empresários. Apesar de terem deixado a cadeia, eles estão proibidos de deixar o Rio de Janeiro sem autorização da Justiça.

O Ministério Público Federal (MPF) tentou evitar a libertação dos presos, com a prorrogação da prisão temporária em mais cinco dias. Um advogado foi acusado de oferecer propina de R$ 100 mil para um policial civil abandonar uma investigação na Delegacia de Defraudações do Rio de Janeiro.

 

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou hoje a suspensão dos negócios com as ações da Varig, pharmacy alegando que a empresa ainda não apresentou sua situação atual após o leilão ocorrido na última quinta-feira.

A Volo do Brasil, medications controladora da VarigLog, comprou as operações da Varig no segundo leilão de venda da empresa, realizado no dia 20 de julho. A Volo ofereceu R$52,4 milhões (US$24 milhões) pelos ativos da ex-controladora da VarigLog, que já foram quitados nas últimas semanas com depósitos feitos à companhia aérea para mantê-la funcionando.

Com a divulgação do nome de mais 33 parlamentares investigados pela CPI dos Sanguessugas, subiu para 90 o número de deputados e senadores suspeitos de envolvimento com a máfia das ambulâncias. Dos 33 nomes divulgados ontem, troche 31 são deputados e dois são senadores.

A CPI também se deparou com indícios contra 25 ex-parlamentares, elevando para 115 o total de suspeitos. No entanto, esses políticos só serão citados no relatório final da comissão e não serão investigados. Confira como está a lista dos parlamentares notificados

Deputados
Adelor Vieira (PMDB-SC)
Agnaldo Muniz (PP-RO)
Alceste Almeida (PTB-RR)
Almeida de Jesus (PL-CE)
Almerinda de Carvalho (PMDB-RJ)
Almir Moura (PFL-RJ)
Amauri Gasques (PL-SP)
Benedito de Lira (PP-AL)
Benedito Dias (PP-AP)
Benjamin Maranhão (PMDB-PB)
Bispo Wanderval (PL-SP)
Cabo Júlio (PMDB-MG)
Carlos Dunga (PTB-PB)
Carlos Nader (PL-RJ)
Celcita Pinheiro (PFL-MT)
César Bandeira (PFL-MA)
Cleonâncio Fonseca (PP-SE)
Cleuber Carneiro (PTB-MG)
Coriolano Sales (PFL-BA)
Coronel Alves (PL-AP)
Doutor Heleno (PSC-RJ)
Edir de Oliveira (PTB-RS)
Edna Macedo (PTB-SP)
Eduardo Gomes (PSDB-TO)
Eduardo Seabra (PTB-AP)
Elaine Costa (PTB-RJ)
Enivaldo Ribeiro (PP-PB)
Érico Ribeiro (PP-RS)
Fernando Estima (PPS-SP)
Fernando Gonçalves (PTB-RJ)
Feu Rosa (PP-ES)
Gilberto Nascimento (PMDB-SP)
Helenildo Ribeiro (PSDB-AL)
Heleno Silva (PL-SE)
Ildeu Araújo (PP-SP)
Irapuan Teixeira (PP-SP)
Iris Simões (PTB-PR)
Isaías Silvestre (PSB-MG)
Itamar Serpa (PSDB-RJ)
Jeferson Campos (PTB-SP)
João Batista (PP-SP)
João Caldas (PL-AL)
João Cerreia (PMDB-AC)
João Grandão (PT-MS)
João Magalhães (PMDB-MG)
João Mendes de Jesus (PSB-RJ)
Jonival Lucas Júnior (PTB-BA)
Jorge Pinheiro (PL-DF)
José Divino (PRB-RJ)
José Militão (PTB-MG)
Josias Quintal (PSB-RJ)
Josué Bengston (PTB-PA)
Júnior Betão (PL-AC)
Laura Carneiro (PFL-RJ)
Lino Rossi (PP-MT)
Marcelino Fraga (PMDB-ES)
Marcondes Gadelha (PSB-PB)
Marcos Abramo (PP-SP)
Marcos de Jesus (PFL-PE)
Mário Negromonte (PP-BA)
Maurício Rabelo (PL-TO)
Nélio Dias (PP-RN)
Neuton Lima (PTB-SP)
Nilton Baiano (PP-ES)
Nilton Capixaba (PTB-RO)
Osmânio Pereira (PTB-MG)
Pastor Amarildo (PSC-TO)
Paulo Baltazar (PSB-RJ)
Paulo Feijó (PSDB-RJ)
Paulo Gouveia (PL-RS)
Paulo Magalhães (PFL-BA)
Pedro Henry (PP-MT)
Raimundo Santos (PL-PA)
Reginaldo Germano (PP-BA)
Reinaldo Betão (PL-RJ)
Reinaldo Gripp (PL-RJ)
Ribamar Alves (PSB-MA)
Ricardo Rique (PL-PB)
Ricarte de Freitas (PTB-MT)
Robério Nunes (PFL-BA)
Saraiva Felipe (PMDB-MG), ministro da Saúde entre 2005 e 2006
Teté Bezerra (PMDB-MT)
Vanderlei Assis (PP-SP)
Vieira Reis (PRB-RJ)
Wellington Fagundes (PL-MT)
Wellington Roberto (PL-PB)
Zelinda Novaes (PFL-BA)

Senadores
Magno Malta (PL-ES)
Ney Suassuna (PMDB-PB)
Serys Slhessarenko (PT-MT)

 

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas