Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Fraga promete acabar com blitz do Detran no DF

Francisco Dutra
francisco.dutra@grupojbr.com

Nada mais de blitz do Departamento de Trânsito, popularmente conhecido como Detran, caso Alberto Fraga (DEM) ganhe as urnas em outubro. O candidato ao Governo do Distrito Federal (GDF) promete restringir os trabalhos do Detran para atividades administrativas e educativas. Além disso, pretende substituir metade dos pardais por barreiras eletrônicas. No campo da política, Fraga começa a se movimentar com mais firmeza na direção do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), adespeito da aliança com PSDB. Também não esconde a aliança com o ex-governador José Roberto Arruda (PR). Neste contexto, aproveita para alfinetar a concorrente Eliana Pedrosa (Pros) que participou do antigo governo de Arruda. E também já escala Jofran Fretat (PR) para o GDF.

Os professores receberão gratificação por resultado?
Produtividade. Hoje, a gente sabe que todo dia, todo ano, o Sindicato dos Professores reivindica reajuste salarial. E, por mais justo que seja, nós sabemos que o endividamento do GDF é algo que nos deixa preocupados. Então em vez de falar em aumento salarial eu prefiro fazer alguma coisa na linha da produtividade. Qualificando melhor o professor ele vai ter uma produtividade maior e vai proporcionar um ensino de melhor qualidade.

Como executar o programa de segurança com a defasagem no efetivo das forças?
Vamos reconvocar em torno de 1.5 mil a 2 mil policiais militares e mais uma boa parte de bombeiros. Com a Polícia Civil não há como fazer isso. Vamos ter de abrir concurso público e com isso poderemos reabrir delegacias. Também vamos abrir concurso para a Polícia Militar. Serão de 1 mil a 1.5 mil por ano, até que, em quatro anos, a gente consiga recompletar o efetivo da PM, que é quem faz o policiamento ostensivo. O concurso para bombeiros é outro concurso. Também fui informado que existe um banco de reserva, porque já teve concurso da PM. Se der para aproveitar, aproveitaremos.

Agentes do Detran poderão andar armados ou com tasers?
Detran não pode andar armado. O taser já é um excesso. O Detran tem que entender que o trânsito é educação. Já não basta esse excesso de pardais? Eu vou acabar com 50%. A outra metade eu vou substituir gradativamente por barreiras eletrônicas. Aí sim obriga o cidadão a tirar o pé do acelerador e quebra a velocidade. Isso tudo que tem na cidade é armadilha para tirar dinheiro do trabalhador e do motorista. E outra coisa que eu defendo. O Detran é órgão normativo. A ação desses agentes nas ruas é ilegal. Nós temos que pensar nisso com muito mais visão do que está previsto na Constituição. O Detran é o órgão encarregado de mexer com prontuário, frota, na Educação, na carteira nacional de habilitação.

Se eleito, não veremos mais agentes do Detran nas ruas?
Nós pretendemos criar uma Companhia Metropolitana de Trânsito. Como nós criamos no governo Arruda, e o sindicato depois, por força e pressão, derrubou uma lei que era muito importante para o DF. O Detran não pode atuar na fiscalização nas ruas como hoje.

Não vai ter blitz do Detran?
Se eu for eleito, não. A intenção é colocar o Detran como um órgão administrativo. O Detran não pode ir para as ruas como está fazendo. E é isso que motiva eles quererem ter arma de fogo. Essa missão em todo Brasil é inerente às companhias de engenharia de Trânsito. Se tivermos uma Câmara Distrital aliada ao Governo nós pretendemos criar a Companhia Metropolitana de Trânsito no primeiro ano.

Saúde. A ideia é resgatar os projetos de Frejat e Roriz?
É você ter em um posto de Saúde três médicos atendendo, um clínico geral, um pediatra e um ginecologista. Esses três atendendo junto com o Saúde em Casa, te garanto que no mínimo de 60% a 80% das demandas dos hospitais serão reduzidas. E eles ficarão para atender apenas as demandas mais graves.

Instituto Hospital de Base e o Hospital da Criança prosseguem?
O Instituto Hospital de Base a gente acaba logo no início. Porque o modelo ele é totalmente estranho. Você misturar público com o privado, escolher paciente, salários desiguais, isso não dá certo. A Saúde é um bem comum de todos. Não se pode visar lucro. Você tem que ter atendimento. E, infelizmente, esse modelo que foi implantado lá, não serve para nada. Parece-me que o modelo lá no Hospital da Criança já é bom. Então, no que está bom não se mexe. Agora o que foi inventado com outros propósitos, isso nós vamos acabar.

O programa não detalha o combate contra corrupção. Como fica este ponto?
Nós temos que aproveitar o que existe a nível federal. Nós não podemos tolerar a corrupção. Por isso que defendo que nós tenhamos um servidor público bem remunerado para não sofrer tentação. Se bem que não ser corrupto é obrigação de todos os servidores. É claro que um salário digno ajuda. Então tudo o quanto for mecanismo para identificar e corrigir as corrupções nós estaremos apoiando e incentivando. Quero fortalecer a Controladoria-Geral do DF, como quero também fortalecer a Defensoria Pública e a Procuradoria do GDF.

Bolsonaro ou Alckmin?
Todo mundo sabe que eu tenho que obedecer a uma orientação partidária. No entanto, as pessoas conhecem a minha relação a nível de amizade, a nível pessoal com Bolsonaro. Então seria muita hipocrisia alguém acreditar que eu não fosse votar no Bolsonaro. Então a orientação partidária existe. Mas como as pessoas me conhecem e sabem do meu relacionamento com Bolsonaro a resposta fica na cabeça de cada um.

Frejat e Arruda vão participar do governo?
O Frejat sabe muito bem que só não será meu secretário se não quiser. O Arruda em virtude da situação dele, ele mesmo já demonstrou que não quer. Agora, eu não abrirei mão de ter como um bom conselheiro o José Roberto Arruda, que foi um bom governador. É um cara que sabe gerir a máquina publica e sabe identificar os problemas da população. Coisa que os outros talvez se envergonhem. Eu sei, por exemplo, que tem candidata que foi secretária no governo dele e parece que tem vergonha de falar. Eu não. Eu falo que quando fui secretário de Transportes do governo Arruda eu era atuante e com muitas realizações. Os problemas pessoais cada um responda. Não podemos jogar isso para debaixo do tapete.

Estacionamentos?
Eu deixei pronta uma PPP onde se criava os estacionamento subterrâneos. Eu acho que é a grande solução. Quero dar incentivos aos estacionamentos públicos subterrâneos e edifícios garagem em parceria com a iniciativa privada. O governo não tem esse dinheiro.

Reforma do sistema de ônibus?
Primeiro tem que se abrir uma licitação com outorga. Cometeram esse crime e parece que o Ministério Público não enxergou isso. Eu lembro que quando fiz uma licitação de 450 micro-ônibus e 160 ônibus eu coloquei mais de R$ 60 milhões nos cofres do GDF. O governo do PT licitou todo sistema de Transporte Coletivo e não arrecadou um centavo. Aonde estava o Ministério Público que permitiu isso? Agora está aí, a Justiça já definindo. Como três bacias, se não me engano, sendo anuladas. Vejam o problema que não vai ser. Eu não posso retirar os ônibus das ruas. Nessa hora nós vamos ter que buscar ajuda do Ministério Público e do Judiciário para ver como vamos fazer. A nova licitação não será por bacias. Será por linhas. Você coloca uma linha superavitária e uma deficitária para você ter o equilíbrio financeiro do sistema. Quando se faz por bacias, você tem determinadas linhas que ninguém quer participar. Eu vou trazer 800 micro-ônibus exatamente para servir de alimentadores dos grandes corredores.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas