Siga o Jornal de Brasília

Educar é ação

Por que a Finlândia é referência em Educação?

A Finlândia é referência em educação em todo o mundo. Sempre investindo no sistema educacional, é constante sua frequência entre os primeiros lugares na avaliação internacional que mensura o nível educacional dos alunos de 15 anos, o Pisa.

A Agência Nacional Finlandesa realizou uma reforma curricular em 2016 que pode ser definida como o resultado desse sucesso. A reforma tinha o foco em aumentar a participação dos alunos, permitindo que todos se sintam satisfeitos com seu aprendizado acadêmico e consequentemente o aumento da importância da aprendizagem e das relações sócio-emocionais.

A autonomia em resolver os problemas, elaborar metas e avaliar o aprendizado utilizando as metas estabelecidas é um dos princípios que orientam o sistema educacional da Finlândia, denominado como “comunidade de aprendizagem”.

As habilidades transversais estão no novo currículo com o objetivo de competência cultural ao “aprender a aprender”. Temos, assim, a autoexpressão e a interação, além do cuidado de gerenciar a própria vida e cuidar de si próprio. O foco na construção de habilidades ativas que serão úteis para a vida toda, como participação, envolvimento, empreendedorismo e elaboração de um futuro mais sustentável, está diretamente ligado a essas habilidades. O meio social atual exige habilidades e competências cada vez mais transversais, devendo os professores promovê-las cada vez mais.

As escolas apresentam, todos os anos, ao menos um projeto ou curso que combine aos conteúdos das diferentes disciplinas e que esteja ligado aos módulos de aprendizagem multidisciplinar. A duração dos módulos variam de acordo com as necessidades e os interesses locais. Ocorre uma participação direta dos alunos no planejamento dos módulos e os professores asseguram que, aos longo de todo o processo, os alunos trabalhem em conjunto.

Os professores diferenciam suas aulas com atividades individualizadas aos estudantes, o que resulta em ao menos cinco atividades distintas na mesma aula. Cada aluno tem seus objetivos específicos, que são elaborados junto com o professor e pais. Nesse modelo de ensino há alunos com diferentes históricos produzindo em conjunto. Acreditar que se pode aprender com alguém diferente é essencial.

O novo currículo foca na diversidade nos métodos de avaliação, orientado a promover o aprendizado. E delegando ao aluno condições para o progresso acadêmico. A avaliação vai além dos relatórios e certificados. O trabalho com a autoavaliação é um dos destaques, junto com discussões com os pais e alunos pelo menos uma vez ao ano, para estabelecer metas baseadas nos pontos fortes dos alunos.

Resumindo: O professor fala menos e o aluno faz mais. Os professores são facilitadores da escolarização, ao ponto que os alunos estabelecem as metas, refletem e resolvem problemas da vida real.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas