Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Dando passe

O projeto do Governo do DF para reorganizar o acesso ao Passe Livre Estudantil (PLE) foi tema de uma comissão geral na Câmara Legislativa, ontem. Os principais atores da discussão compareceram. Estiveram lá representantes de movimentos estudantis, deputados de oposição e da situação, o presidente da Casa e aliado imediato do governador Ibaneis Rocha (MDB), Rafael Prudente (MDB), e o secretário de Transportes, Valter Casimiro, dentre outras figuras relacionadas.

Sem carimbo

Na chefia da comissão, João Cardoso (Avante), que, apesar de ser da base do governador Ibaneis, tem muitas dúvidas quanto ao projeto do Executivo. Lembrando que ele já havia votado contra o Buriti na época da expansão do modelo do Instituto Hospital de Base. De qualquer maneira, mesmo o aliado mais próximo do governador na Casa, Rafael Prudente, não esteve lá para defender com unhas e dentes a proposta. “Não estamos aqui para carimbar projeto do governo, estamos aqui para discutir”, avisou.

Ponto e contraponto

Coordenador do Movimento Passe Livre, Paíque Duques iniciou sua fala dizendo que “o governo tem uma noção errada de transporte, pois o passe livre é um direito e não um benefício”. Ele foi apoiado por deputados distritais presentes como Fábio Félix (PSOL), Leandro Grass (Rede) e Chico Vigilante (PT) e outros opositores ao projeto de Ibaneis. “Temos de desmistificar essa história que estudante frauda passe estudantil. Rico não anda de ‘busão’. Filho de rico tem carro, motorista para levar ele à faculdade”, disparou Vigilante, em seguida.

Conta não fecha

Outros representantes de movimentos estudantis e a deputada Júlia Lucy (Novo) também apontaram uma inconsistência no critério de restringir o acesso ao PLE por renda familiar. Eles exemplificaram que uma família com renda de quatro salários mínimos, e portanto acima da linha de corte, conforme a proposta do GDF, pode ter um único filho, e aí a condição desse estudante é uma. Mas uma família com os mesmos quatro salários mínimos de renda pode ter seis, dez filhos, e aí a necessidade para esses jovens de gratuidade no transporte seria a mesma de uma família que se encaixasse no critério pretendido pelo novo projeto.

Não é bem assim
O secretário Valter Casimiro (foto) foi praticamente a única voz dissonante na reunião. Ele revelou que morou em Sobradinho, usou transporte público para ir à faculdade privada que frequentou e, portanto, sabia das necessidades do cidadão candango. Contudo, ele defendeu que existem, sim, fraudes que comprometem o sistema e ainda sugeriu que o programa atende a mais gente do que deveria.

Salto numérico

“Em 2010, a utilização do Passe era de 40 mil usuários, isso com a mesma lei que vigora hoje e com a utilização pelas escolas particulares e públicas. Houve uma modificação de 40 mil para 300 mil. É uma distorção muito grande. Não acreditamos que tenhamos aumentado tanto assim o número de estudantes”, defendeu Casimiro. Ele ainda agrantiu que o dinheiro economizado com o subsídio do passe livre servirá para investimentos em outras áreas. A discussão ainda está longe de acabar, mas o governo quer enviar uma versão definitiva do projeto à Câmara logo, logo.

Carnaval mais animado
As vendas do comércio para o Carnaval – nos dias 3, 4 e 5 de março – devem subir 4% este ano no Distrito Federal, acima dos 3% de 2018. É que os juros e a inflação caíram, o que aumenta o poder de compra do consumidor. A procura por fantasias e adereços em lojas entra na reta final. Os cartões de crédito devem responder por 95% do faturamento do comércio. As fantasias infantis são as mais vendidas, principalmente de heróis de filmes e da televisão. Este ano devem deixar o DF no carnaval 180 mil pessoas contra 310 mil do carnaval passado. “As aulas já começaram e elas retêm muitas famílias em Brasília”, explica o presidente do Sindivarejista, Edson de Castro

Lojas abertas

Pelo segundo ano consecutivo, o comércio funcionará no domingo de carnaval. E alguns shoppings terão matinês com bailes a partir das 14h. “Abrir o comércio no domingo de carnaval é uma experiência que deu certo ano passado e certamente ocorrerá o mesmo este ano”, disse Edson de Castro.

Terra nostra

A deputada federal Paula Belmonte (PPS) foi convidada a fazer parte do Grupo Parlamentar Brasil-Itália, que defende os direitos dos cidadãos brasileiros no país europeu. “É importante que tenhamos um grupo com canal direto com a Câmara dos Deputados da Itália e a embaixada italiana no Brasil, para que possamos defender o direito dos descendentes de italianos de obter a cidadania”, destacou a parlamentar, que também é ítalo-brasileira.

Déjà-vu

O Centro de Inteligência do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) prestou apoio ao Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) para deflagrar, ontem, a Operação Show de Horrores (é esse o nome mesmo). Entre os nove mandados de prisão executados, houve a prisão de João de Deus! Calma, não é o médium tarado, mas o ex-prefeito da cidade, homônimo ao guru assediador.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas