Concurso TST: contratada banca e edital este mês

Foto: Divulgação

Saiu no Diário Oficial da União (DOU), da edição desta terça-feira (13), que o Tribunal Superior do Trabalho (TST) assinou o contratou de prestação de serviços com a banca organizadora do seu próximo concurso, que é a Fundação Carlos Chagas.

Como o órgão tem o intuito de lançar o certame ainda em junho, devem faltar poucos detalhes para concluir o edital, que contemplará oportunidades para os cargos de técnico e analista.

Publicidade

O posto de técnico se destina a quem possui ensino médio completo, sendo que determinadas áreas podem exigir curso técnico. A remuneração inicial corresponde a R$ 6.167,99.

Para analista será necessário ter formação superior e, dependendo da especialidade, diversos cursos serão aceitos. O vencimento oferecido pelo TST equivale a R$ 10.119,93.

No caso do cargo de técnico, o concurso do TST contemplará chances nas áreas administrativa, administrativa/segurança judiciária e apoio especializado/programação. Já para analista haverá ofertas nas especialidades judiciária, administrativa, apoio especializado/contabilidade, apoio especializado/análise de sistemas, apoio especializado/suporte em tecnologia da informação e apoio especializado/taquigrafia.

A triagem dos participantes consistirá na aplicação de provas objetivas, testes discursivos, exames práticos e/ou redação, de acordo com a especialidade. Todas as avaliações ocorrerão somente em Brasília, no Distrito Federal.

Projeto de lei que cria vagas

Tramita no Senado o projeto de lei da câmara (PLC) 7.902/2014, de autoria do ministro Antônio Levenhagen, que cria 270 oportunidades no quadro do TST.

As vagas constantes no PLC se destinam à carreira de analista judiciário na área judiciária e devem ser preenchidas por meio de concursos. Ou seja, quando aprovadas e sancionadas pelo presidente da República, o tribunal poderá utilizar tais chances com os remanescentes deste novo processo seletivo.

Último concurso do TST

Em 2012, o Tribunal Superior do Trabalho abriu seleção com 37 vagas imediatas e cadastro reserva. O processo seletivo foi organizado pela Fundação Carlos Chagas e apresentou 77.887 inscritos.

Candidatos com nível médio concorreram ao cargo de técnico nas especialidades administrativa (31 + CR), administrativa – segurança judiciária (CR) e apoio especializado – programação (1 + CR).

Os graduados tiveram como opção a carreira de analista nas seguintes áreas: judiciária (2 + CR); administrativa (1 + CR); e apoio especializado – contabilidade (CR), análise de sistemas (CR), suporte em tecnologia da informação (CR), medicina do trabalho (CR) e taquigrafia (2 + CR).

A triagem constou de provas objetivas para todos os participantes, estudo de caso para técnico em programação e redação para analista.

FONTEJC Concursos

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR