Câmara dos Deputados tem mais de 500 cargos vagos e concurso deve sair em breve

Divulgação

Um dos certames mais aguardados pelos concursandos é o da Câmara dos Deputados. A expectativa é de que o edital esteja cada vez mais próximo de ser lançado. No ultimo dia 1º, a Casa atualizou os números de seu quadro de pessoal e apresentou documento informando que já são mais de 500 cargos vagos no Legislativo.

De acordo com as últimas informações do Portal de Transparência do órgão, são 130 cargos vagos em funções de nível superior (Analista Legislativo), que tem remuneração inicial de R$ 17.684,43 e outros 400 em funções de nível intermediário especializado (Técnico Legislativo), com vencimentos iniciais de R$ 11.545,65.

A realização do concurso já foi autorizada pela Mesa Diretora, em 2016. A Lei de Diretrizes Orçamentárias também já previa a sua realização. Segundo consta no projeto, já aprovado pelo Congresso Nacional, o novo concurso poderá ter até 143 vagas para provimento dos cargos vagos do órgão, lembrando que os poderes Legislativo e Judiciário são autônomos e podem realizar concursos normalmente, não afetados pela suspensão anunciada pelo Governo Federal.

Segundo o professor de Regimento Interno da Câmara dos Deputados, do IMP Concursos, Dackson Soares, o próximo certame será bastante concorrido e o candidato deve antecipar a preparação, criando uma ordem lógica e disciplina de estudo. “O maior erro é aguardar a publicação do edital para começar a pensar em estudar”, afirma.

Em relação ao regimento, o professor destaca que, como se trata de legislação específica, não é seguro fazer previsão de o que pode ou não ser cobrado em prova. “Toda a matéria deve ser bem estudada, não decorada. Afinal, decorar dezenas de artigos, com mais algumas dezenas de incisos, alíneas e parágrafos é impossível e ineficaz”, destaca.

E para ajudar os que almejam uma vaga na Casa, o professor dá dicas de estudo. Para ele é utópico imaginar que alguém consiga estudar 12 horas ou mais por dia.

“Acho que tem que ter um mínimo, mas que deve ser ajustado à realidade de cada um. Sabe aquele tempo que as pessoas perdem com bobagens da internet? Use esse tempo para estudar. Só isso, garanto, representará mais de duas horas por dia. Esqueça redes sociais. Consiga a compreensão da família. Enfim, estude o máximo que conseguir dentro do possível e com qualidade. Mais vale uma hora de estudo bem feito que duas horas com interrupções por ligações, mensagens e conversas desnecessárias”, orienta Dackson.

Para finalizar, o professor aconselha aos candidatos que façam e refaçam exercícios quantas vezes for possível. “Fazer muitas questões certamente é imprescindível para a compreensão da matéria”, conclui.

COMPARTILHAR