Do Alto da TorreEduardo Brito

Publicação: Quarta-feira, 27/05/2015
A+ A-

Complicações para Telma

Complicou-se a vida da distrital Telma Rufino (foto), única detentora de mandato do PPL brasiliense. Os 21 integrantes da executiva regional do partido aprovaram – por 16 votos a favor e uma abstenção – apoio à decisão da Executiva Nacional de abrir processo de expulsão contra ela. Decidiram também suspendê-la das atividades partidárias por 60 dias, em razão da Operação Trick, realizada pela Polícia Civil no dia 30 de abril. O PPL-DF também escolheu  novo presidente regional interino da legenda, o sindicalista Waldir Ferreira, e a primeira vice, Jane Ferreira. Até a reunião, a vice era justamente Telma Rufino. O presidente  Marco Antonio Campanella está licenciado  para se defender das mesmas acusações feitas na Operação Trick.

Escolhas feitas a dedo

Para não deixar dúvidas sobre quem manda no partido, Jaqueline Silva foi escolhida coordenadora do PPL em Santa Maria. Vem a ser a primeira suplente de deputada distrital e, nessa condição, substituta eventual de Telma Rufino. Jaqueline é vista como ligadíssima ao licenciado Marco Antonio Campanella.

Votar sem conhecer

Líder do PSD, o deputado federal brasiliense Rogério Rosso adverte que a reforma política entrou na agenda de votações sem que os parlamentares saibam o que está efetivamente previsto nela. O plenário da Câmara dos Deputados, diz Rosso, debate a reforma política sem conhecer o texto com 24 horas de antecedência. “Tivemos uma comissão que debateu o texto, mas que não conseguiu votar o relatório e, em um procedimento pouco habitual, teremos que votar uma matéria sem conhecê-la”, avisa.

Especialista em contas públicas no Buriti 

Passou a circular pelo Buriti o economista Raul Velloso. Vem a ser um dos principais especialistas em contas públicas do País. Suas principais bandeiras referem-se à necessidade de cortar despesas de custeio e ampliar os investimentos, especialmente em infraestrutura.

Muito para a proteção social...

É de Raul Velloso a constatação de que, desde a Constituição de 1988, o governo decidiu concentrar os recursos da União no que chama de “um gigantesco programa de proteção social”. Com isso, deixou os outros setores da economia com recursos insignificantes, como na área de transportes.

...e pouco para a infraestrutura

Raul Velloso mostra que, ao menos até os cortes desta semana, o orçamento da União destina quase 74% de seus recursos em benefícios previdenciários, em assistência social e em salários de funcionários. A área da saúde conta com 8%. Para todo o restante sobram 18%. A infraestrutura, no geral, ficou com 6%. Dessa fatia de 6%, o setor de transportes teve apenas 22% em 2012. “Trocando em miúdos, os recursos destinados ao transporte representam 1,3% do total de investimentos da União. Isso não é nada”, ensina Velloso.

Rollemberg anunciará parcerias com setor privado

Revelação do governador Rodrigo Rollemberg: vêm mesmo aí as primeiras parcerias público-privadas de seu governo. Nos próximos dias, o governo deverá publicar um decreto para regulamentar as manifestações de interesse para as parcerias. "Também estaremos estudando algumas concessões, porque isso dá dinamismo para a economia, especialmente, em um momento em que os Estados e os Governos têm baixa capacidade de investimento", comentou Rollemberg. O decreto regulará parcerias em Saúde, Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação, Mobilidade Urbana. De acordo com o governador, as manifestações de interesse estão em estudos.

Mapeamento da produção de alimentos

O Ministério da Integração Nacional e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, o IICA, apresenta hoje um relatório para a produção de alimentos no Brasil. Estudo realizado pela Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) a pedido das duas instituições mapeia o potencial de expansão da agricultura irrigada em solo brasileiro. Já tem gente acreditando que o documento poderá mudar o mapa nacional de investimentos em políticas agrícolas. 

Fora do carro de som

Integrantes de um dos maiores sindicatos organizados do DF, o SindSaude, desceram do carro de som que comemorava a decisão do Tribunal de Justiça sobre o reajuste dos servidores. Era um protesto contra o que consideraram provocações. "Todos nós lutamos juridicamente e não politicamente por esta vitória e é inadmissível utilizar uma oportunidade única de comemorar a luta que foi nossa para priorizar ataques infantis e desnecessários”, atacou Marli Rodrigues, presidente do SindSaude. Para ela,  “não houve vitória do PT, nem derrota do PSB”.

Fundos de pensão na mira

Funcionário aposentado do Banco do Brasil, o deputado federal Augusto Carvalho denuncia que o aparelhamento dos fundos de pensão passou a ser fonte de preocupação de todos os funcionários que, ao longo de gerações, constituíram seu patrimônio. Cita casos  como os da Postalis, da Petros e agora da Funcef, que teve a diretoria trocada sob pressão dos servidores. O alarme de Augusto, agora, refere-se ao Banco do Brasil. Segundo ele, existe uma guerra interna na Previ, a fundação do banco, onde um dos diretores faz pressão ostensiva para retirar outra, escolhida pelos funcionários.

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Serviços.

Assinatura

Tenha seu jornal sempre na mão

Confira nossa Edição Digital

Classificados

Encontre o que você procura

Empregos

Temos um trabalho para você

Hoje temos vagas disponíveis