Do Alto da TorreEduardo Brito

Publicação: Sábado, 20/12/2014
A+ A-

Espera para a formação de blocos

Embora vários blocos já estejam estruturados para a próxima legislatura, na Câmara Legislativa, o governador eleito Rodrigo Rollemberg sugeriu a vários distritais que aguardassem antes de fecharem suas opções. Essa recomendação ocorreu sempre em conversas separadas. O resultado é que ao menos sete deputados evitam uma definição. Nem todos eles chegaram a receber o alerta de Rollemberg, mas estão informados de que o governador eleito ainda pode empreender uma ação mais direta nesse sentido. 

Negociação em conjunto

Cristiano Araújo (foto), solitário representante do PTB, e Doutor Michel, único distrital do PP, estão nesse compasso de espera. Devem ficar juntos e há até um acordo para apoio a  Michel na Mesa Diretora. Tendem, porém, a seguir rumo a um bloco maior, que garantiria maior peso nas manobras parlamentares.

PMDB exerce atração

Com três distritais, o PMDB exerce forte atração sobre os deputados dos blocos-do-eu-sozinho. Cristiano Araújo reconhece que é uma opção que lhe agrada. Além de Doutor Michel, o vice-presidente Agaciel Maia já conversa com os peemedebistas. O mesmo fazem Liliane Roriz e Juarezão, do PRTB. Na hipótese de todas essas negociações darem certo, haveria um agrupamento com oito distritais potencialmente oposicionistas. Se há algo de que os futuros ocupantes do Buriti não precisam é um bloco com esse desenho.

Climão no PV

Pintou um climão no PV. As conversas do governador eleito Rodrigo Rollemberg sobre o secretariado tiveram como interlocutores, em geral, instâncias partidárias. O comando regional do PV, dessa forma, não gostou nada, mas nadinha mesmo, de ver uma indicação de seu único distrital, Israel Batista, emplacar a nova Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Jovens, Jane Klebia Reis. Tem gente tão brava que fala em desligar Israel Batista do partido, como aconteceu com o PDT. Em tempo: tanto a campanha de Rollemberg quanto o pessoal de Israel Batista nega que ele tenha formulado a indicação, embora conheça Jane Reis.

Nada de cobrar menos pelo esgoto

Confirmando o que publicou a coluna, a Caesb pressionou o Buriti, o Buriti pressionou deputados aliados e deputados aliados pressionaram Robério Negreiros para que retirasse o projeto que impõe limite à conta de esgoto. Hoje cobrado no mesmo nível do fornecimento da água, passaria ao máximo de 35% dela. Convencido de que o projeto não passaria, Negreiros recuou. A proposta saiu da agenda, mas fica vivinha, para o ano que vem. Onde, ao que se pode supor, tudo se repetirá.

Segurança pra lá de truculenta

Seguranças da empresa que construiu e  ainda  controla o Centro Administrativo mostraram quem é que manda por lá. Armados até os dentes, ameaçaram abater a balaços um drone que, com uma câmera go-pro, fotografava o empreendimento inacabado para o Jornal de Brasília.

Não foi ele

Foi uma encrenca em torno do desenho da Secretaria da Educação que contribuiu decisivamente para a ruptura entre o governador Agnelo Queiroz e o senador Cristovam Buarque. Nada mais consertou as relações políticas entre os dois. Desta vez, Rodrigo Rollemberg e Cristovam Buarque até conversaram sobre o assunto, mas a escolha do professor Júlio Gregório para o caso não teve o dedo do senador.  

Escolha agradou, mesmo sem indicação

Já Hermes de Paula, escolhido para presidir a Novacap, é ligadíssimo a Cristovam, de quem foi secretário de Obras. Costuma participar das campanhas do senador e o seguiu na mudança do PT para o PDT. Recebeu um dos mais cobiçados cargos no governo brasiliense, pois a Novacap, sabe todo mundo, é mais importante do que muita secretaria. Entretanto, sua escolha não ocorreu por indicação de Cristovam.

Representa a esperança

Rodrigo Rollemberg fez questão de procurar Cristovam Buarque antes de seu discurso de despedida do Senado. Os dois conversaram longamente, a sós. Quando o governador discursava, Cristovam o aparteou, manifestando integral apoio e dizendo que ele representa a esperança. Disse até que “a sua saída do Senado, que é, sem dúvida alguma, uma perda, será plenamente compensada pelo seu trabalho como governador no Distrito Federal”.

De governo para governo

Clima de festa na Casa Civil do governo Agnelo, no Buriti. A subsecretária-geral de Administração da Casa Civil, Anabeth Gonçalves Reis, deverá permanecer no cargo. Ela tem experiência. Já trabalhou com Paulo Tadeu e com Swedenberger Barbosa, atual titular da pasta.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Serviços.

Assinatura

Tenha seu jornal sempre na mão

Confira nossa Edição Digital

Classificados

Encontre o que você procura

Empregos

Temos um trabalho para você

Hoje temos vagas disponíveis