Servidora do Ministério da Cultura é assassinada na porta de casa na Asa Norte

Breno Esaki/Jornal de Brasília

Douver Barros e Jéssica Antunes
redacao@jornaldebrasilia.com.br

A radialista do Ministério da Cultura e mestranda da Universidade de Brasília (UnB), Maria Vanessa Veiga Esteves, foi assassinada ao chegar em casa, na SQN 408, por volta das 23h30 dessa terça-feira (8). A mulher de 55 anos foi abordada por dois bandidos e não teria reagido ao crime, que ocorreu no estacionamento, entre os bloco B e C da quadra.

Publicidade

Segundo a Polícia Militar, um dos bandidos agarrou a vítima por trás, enquanto o outro a esfaqueava, mesmo ela se dispondo a entregar todos os pertences. A servidora foi atingida com pelo menos quatro facadas. Após o latrocínio (roubo seguido de morte), a dupla fugiu com o celular e a bolsa da mulher, mas deixou a faca usada no crime.

Uma vizinha teria ouvido o momento em que Maria Vanessa gritava por socorro. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou ao junto com a Polícia Militar. Os socorristas prestaram socorro à mulher, mas ela acabou não resistindo. A PM faz buscas para localizar os criminosos.

A tenente da PM, Renata Barros, diz que não há suspeitos, mas a polícia faz buscas a partir das características repassadas por testemunhas e pelo que foi possível averiguar nas imagens registradas por câmeras de segurança. Natural de Minas Gerais, Maria Vanessa morou no Rio de Janeiro por 25 anos, antes de mudar para Brasília

Jovens que dividiam quarto com Maria Vanessa estão abalados com o  crime. Breno Esaki/Jornal de Brasília
Jovens que dividiam quarto com Maria Vanessa estão abalados com o crime. Breno Esaki/Jornal de Brasília

Colegas de quarto lamentam perda

Maria Vanessa dividia apartamento com dois estudantes estrangeiros, um coreano e uma estadunidense. Eles dormiam no momento do crime e só souberam do ocorrido ao amanhecer. “Desde que cheguei ela tem me acolhido, é muito querida, uma espécie de mãe brasileira. Tô muito chocada”, diz Cristina Chabali, estadunidense de 25 anos.

Foto: Breno Esaki/Jornal de Brasília
Foto: Breno Esaki/Jornal de Brasília

Vizinha testemunhou crime

Uma dona de casa de 49 anos (foto acima), que vive há 13 no prédio em frente onde morava Vanessa e que prefere não se identificar, revela que viu da janela os dois homens agindo.”Um segurou e o outro esfaqueou. Ela chegou a dizer ‘não precisa de nada disso’, mas não adiantou”, lembra a mulher.

As câmeras de segurança registraram dois autores fugindo. Um, de blusa de frio branca e capuz. O outro, de boné preto. Tudo ocorreu em menos de um minuto. Em nota, a instituição lamentou o ocorrido e destacou que, sempre alegre, Vanessa nunca hesitou em ajudar e animar os colegas com abraços e palavras de incentivo.

“Os professores, os funcionários, os alunos do Programa de Pós-graduação e a direção da Faculdade de Comunicação lamentam a perda desta inestimável colega e amiga com a certeza de que a sua memória estará sempre presente nos corações dos que tiveram o privilégio de conviver com Vanessa”, diz o texto.

O Sindicato dos Jornalista Profissionais do Distrito Federal também divulgou nota de pesar pela perda da colega. “Aos familiares e amigos, sentimos profundamente a perda desta grandiosa jornalista e nos colocamos à disposição para quaisquer auxílios”, manifestou-se a entidade.

Também em nota, o Mistério da Cultura afirmou que todos os colegas estão consternados com a notícia. “Ela era bastante respeitada pelo conhecimento que detinha e pela própria pessoa amável e incrível”, afirmou o secretário do Audiovisual do MinC, João Batista Silva.

Criminalidade

De janeiro a julho deste ano, a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social registrou 20 ocorrências de latrocínio de vitimaram brasilienses. No último mês, duas ocorrências do crime foram registradas pela pasta.

Assassinato em Sobradinho

No sábado (5), o empresário Clodoaldo Alencar, de 47 anos, morreu em decorrência de tiros na cabeça, durante um assalto ocorrido no dia 2, dentro de sua loja de motos. O crime ocorreu em Sobradinho. A ação do bandido foi registrada pelas câmeras de segurança do local.

Conforme testemunhas, vítima e suspeito discutiram. O comerciante teria reagido e entrado em luta corporal com o suspeito, na tentativa de tomar a arma. O bandido, então, atingiu Clodoaldo na cabeça, com dois tiros à queima-roupa.

Na fuga, o criminoso tentou levar o carro da vítima, mas o sistema anti-furto do veículo não permitiu que ele fosse muito longe. O carro foi abandonado perto da Administração Regional de Sobradinho. O suspeito, identificado como João Lucas Feitoza da Silva, de 20 anos, permanece foragido.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR