Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Servidor do Senado é suspeito de matar homem após discussão em bar da Asa Norte

Uma confusão em um bar no fim da noite de domingo (29), na 312 Norte, acabou resultando na morte de um homem. Eduardo Montezuma Alves de Lima, de 42 anos, levou um tiro no peito após uma discussão no Chiquinhos Bar, da CLN 312. O principal suspeito de ter cometido o crime é Argos Madeira da Costa Matos, de 57 anos, técnico legislativo do Senado.

Segundo Débora Rodrigues Martins, que teve uma união estável com Eduardo por 12 anos, ela estava no bar com algumas amigas e com Argos, que conheceu há uma semana, em Rio Branco (AC), quando seu ex-companheiro entrou no local chamando-a para conversar, perguntando porque não atendia o celular, pois estaria procurando-a há alguns dias.

Logo depois, Argos teria voltado do toalete e chamou Débora de “minha irmã”, o que aparentemente deixou o ex-companheiro dela, de quem se separou em dezembro passado e com quem tinha uma filha, transtornado e com ciúmes. Eduardo teria empurrado o servidor do Senado, mas a briga foi apartada pelas pessoas presentes ao local.

Entretanto, os dois continuaram a discutir no meio da rua. Logo em seguida, as pessoas que estavam no bar ouviram um tiro, com Eduardo caindo em frente a uma loja de cosméticos na 313 Norte, com as mãos no peito, enquanto Argos entrava em um Peugeot 206 Sedan e fugia do local do crime em alta velocidade.

Débora e outras pessoas que estavam no bar levaram Eduardo para Emergência do Hospital da Asa Norte (HRAN), mas ele morreu ao receber os primeiros socorros.

No local da confusão, peritos encontraram uma cápsula de calibre .380. Policiais da 5ª Delegacia de Polícia estiveram no local, em busca de mais testemunhas do crime, mas a investigação corre agora na 2ª DP.

Segundo os moradores da quadra, é comum haver brigas nas proximidades dos comércios em horário de funcionamentos dos bares. Ainda de acordo com uma mulher, que preferiu não se identificar, o bar onde começou toda a confusão fica aberto até tarde da noite. Por lá, segundo ela, é comum a frequência de usuários de drogas.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Paz Social informa que os moradores, assim como os comerciantes devem sempre registrar um boletim de ocorrência, seja por crimes violentos letais intencionais, como homicídio, latrocínio, lesão corporal seguida de morte ou por crimes contra o patrimônio.

Foto: Hugo Barreto

Foto: Hugo Barreto

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas