Polícia Militar divulga dicas de segurança para orientar vítimas de assalto

Divulgação

Em menos de sete dias, quatro pessoas foram vítimas de latrocínio – roubo seguido de morte – no Distrito Federal. Nos primeiros nove meses de 2016, outras 36 foram mortas em assaltos, segundo os últimos dados disponíveis pela Secretaria de Segurança Pública. Em meio a estes dados alarmantes, a Polícia Militar do Distrito Federal divulgou dicas de segurança para orientar as vítimas de crimes como este.

De acordo com o porta-voz da PM, major Michello Bueno, as pessoas precisam se conscientizar que precisam evitar, ao máximo, reagir, assim como não fazer movimentos bruscos e falar baixo.

“Você também deve falar o tempo todo para o criminoso o que você vai fazer, porque em muitos casos ele está mais nervoso que a própria vítima”, ponderou o major.

As vítimas também devem evitar olhar nos olhos do assaltante e entregar todos os objetos que forem solicitados. “Quando você olha no olho do criminoso, ele acha que você está querendo decorar a face dele, para depois indentificá-lo. Então ele vê isso como uma ameaça”, alertou Bueno.

É muito importante também tentar identificar algumas características do meliante para, ao final da ação, acionar a Polícia Miliar e repassar as informações.

Relembre os casos

4 de janeiro

Um taxista de 46 anos foi assassinado com um tiro no peito após reagir a uma tentativa de assalto na DF-180, em Brazlândia, na noite dessa quarta-feira (4).
Ele foi abordado por um casal de supostos passageiros, em Ceilândia.

No mesmo dia, uma professora de 41 anos morreu após ser vítima de latrocínio no Gama. De acordo com a Polícia Militar, o crime ocorreu no Setor Central, próximo ao Posto de Saúde número 5, por volta das 10h30.

5 de Janeiro

Um homem de 63 anos foi encontrado morto no Itapoã. Ele  teria sido esfaqueado em casa, de onde os ladrões fugiram levando uma TV, um aparelho de DVD e um celular.

10 de janeiro

Um homem de 55 anos foi baleado durante um roubo a residência, na manhã desta quarta-feira (11), na QSC 14, em Taguatinga Sul. De acordo com a Polícia Militar, três homens armados invadiram a casa da vítima, que reagiu e acabou sendo morta.

Dados

De acordo com a Polícia Civil, foram registrados, somente nesses 11 primeiros dias de 2017, quatro latrocínios, cinco tentativas de latrocínios, 15 homicídios e 29 tentativas de homicídios.

Já a Secretaria de Segurança Pública disponibilizou os dados da criminalidade dos primeiros nove meses de 2016. No período, foram registrados, 36 latrocínios e 190 tentativas, 443 homicídios e 688 tentativas, 29.494 roubos a pedestres, 4.156 roubos de veículos, 2.011 roubos em ônibus e 683 roubos em residência.

 

COMPARTILHAR