Investigadores apreendem materiais em batalhão de policiais suspeitos de extorsão e tortura

Jéssica Antunes/Jornal de Brasília

Jéssica Antunes
jessica.antunes@grupojbr.com

A Corregedoria da Polícia Militar e promotores do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) estiveram no 21º Batalhão da PMDF, em São Sebastião, para cumprirem mandados de busca e apreensão referentes à Operação Cruciatus, deflagrada na manhã desta quinta-feira (7). O Jornal de Brasília flagrou a movimentação dos investigadores, que recolheram materiais como armas e cassetetes.

Os investigadores pegaram emprestado um alicate do 17º Grupamento Bombeiro Militar, ao lado do batalhão, e levaram o instrumento para o interior do prédio da polícia. A ação foi iniciada após denúncias de tortura e extorsão a bandidos em troca de armas.

Caso oferecessem resistência, os militares ameaçavam os criminosos de serem presos ou autuados em flagrantes forjados de posse ou tráfico de drogas. A operação é realizada promotores de Justiça do Núcleo de Investigação e Controle Externo da Atividade Policial (NCAP) da Promotoria de Justiça Militar.

A casa dos investigados também são alvos das buscas. A Auditoria Militar determinou o afastamento dos nove policiais militares sob investigação do trabalho de policiamento ostensivo, a suspensão do porte de armas e qualquer contato com as vítimas.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR