Homem que abrigou assassinos de servidora do MinC nega envolvimento no crime

Foto: John Stan

João Paulo Mariano
redacao@jornaldebrasilia.com

Glauber Barbosa da Costa, de 42 anos, que hoje anda tranquilamente pela quadra 208 Norte, onde mora em um apartamento alugado no bloco B, nega ter qualquer envolvimento no latrocínio – roubo seguido de morte – da jornalista e analista do Ministério da Cultura (MinC) Maria Vanessa Esteves, na última terça (08). Ele foi detido nessa quarta-feira (9) pelo possível envolvimento e foi liberado após assinar Termo Circunstanciado. Os acusados do crime, Alecsandro Lima e um adolescente de 15 anos, estavam há pelo menos uma semana em seu apartamento.

Glauber garante que apesar de ser estudante de pós-graduação da Universidade de Brasília (UnB) e ex-servidor do MinC, assim como Maria Vanessa, ele não a conhecia. O homem confessa que é usuário de drogas, como crack e maconha, e, inclusive, havia utilizado entorpecentes junto aos outros dois envolvidos no dia do crime. “Eu vi eles chegando com mochila. Pensei que era roubado”, afirma ao assegurar que não denunciou porque tinha medo de ser “furado” por eles.

Em conversa ao Jornal de Brasília, ele mostrou sobriedade e afirmou que não quer mais ser internado, mas quer continuar a estudar. Apesar do estado em que se encontrava -– descalço e com a roupa suja –, Glauber é bem visto pelas pessoas da quadra, que apenas reclamam do intenso uso de drogas, como dito por um comerciante local.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR