Fácil e DFTrans são condenados por bloqueio de cartões

O Tribunal de Justiça manteve a condenação da empresa Fácil   e do DFtrans. Os réus devem pagar o valor devido a cada estudante que teve o seu cartão bloqueado, bem como   R$ 50 mil por danos morais coletivos, que serão revertidos a um fundo. A ação  foi ajuizada pelo Centro de Assistência Judiciária (Ceajur). 

 

De acordo como o autor, a  Fácil cancelou o reabastecimento dos cartões   estudantis, para utilizar em ônibus, dos alunos que já possuíam cartões do metrô.  A Fácil  alegou não possuir legitimidade passiva, pois o bloqueio  se deu por determinação do DFtrans.

COMPARTILHAR