Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Centrad será reaberto em março com gasto de R$ 300 milhões em mobília

Rafaella Panceri
rafaella.panceri@grupojbr.com

Promessa de campanha do governador Ibaneis Rocha (MDB), a abertura do Centro Administrativo (Centrad), em Taguatinga, está em vias de ocorrer. Segundo o chefe do Executivo local, o prédio deverá ser ocupado pelo Governo do Distrito Federal (GDF) em março deste ano. Só com mobília, o gasto será de R$ 300 milhões.

Ibaneis garante que o processo foi elaborado e conta com pareceres jurídicos. “Mas insisto na via da negociação”, contrapõe, e adianta que conversas com os advogados das empresas indicam que haverá redução “significativa” de valores anteriormente propostos. A intenção do governo é pagar pelo que for “justo”, ponderou, e disse que as condições de financiamento são “muito favoráveis.”

Uma das razões para ocupar o Centrad com rapidez é a falta de estruturas adequadas para que a máquina pública opere no DF — mesmo no centro da capital. “Recebemos laudo da Defesa Civil condenando parte do anexo do Palácio do Buriti”, lembrou Ibaneis.

“Temos todos os instrumentos legais que permitem ocupar o prédio, que é do Distrito Federal. As estruturas para os servidores estão envelhecidas”, expôs, e considerou o Centrad como opção viável — um prédio moderno e, além disso, localizado em um terreno da Companhia Imobiliária do DF (Terracap).

As negociações têm avançado, segundo o governador. “Acredito que as empresas estão começando a se sensibilizar”, sinalizou. “A ideia é negociar. Acho que vamos avançar muito e dar solução para esse imbróglio que não foi criado por mim. Estou buscando a solução o mais rápido possível para atender à população do Distrito Federal”, frisou.

Saiba Mais
O Centrad está fechado desde a inauguração, feita no último dia da gestão do ex-governador Agnelo Queiroz (PT). Segundo o GDF, o motivo é uma lista de mais de 60 processos judiciais e administrativos envolvendo as empresas responsáveis pela construção (Via Engenharia e Odebrecht).

Por conta de inadimplência, o GDF está atualmente impedido de fazer empréstimos da ordem de R$ 3 bilhões na Caixa Econômica Federal (CEF).

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas