Rainha de bateria de escola de samba é morta a tiros no RS

Reprodução/Facebook

A rainha de bateria da escola de samba Imperatriz Dona Leopoldina, Paola Serpa Severo, de 33 anos, foi morta a tiros em Cachoeirinha, Região Metropolitana de Porto Alegre. Informações preliminares da Polícia Civil apontam que a mulher tenha sido vítima de latrocínio – roubo seguido de morte. A corporação afirmou, no entanto, que nenhuma outra hipótese é descartada.

O crime ocorreu na noite dessa quinta-feira (16), em frente a um condomínio na Avenida Obedy Cândido Vieira. Paola estava a bordo de um carro, aguardando a filha de sete anos, que faz aula de música, quando os criminosos se aproximaram. Após a ação, os suspeitos fugiram sem levar nada.

Publicidade

“A princípio ela estava sozinha no carro. Mas estamos investigando. Não descartamos nenhuma possibilidade.”, disse o delegado responsável pelo caso, Newton Martins, ao G1.

Testemunhas começaram a ser ouvidas na delegacia. Agora, agentes buscam imagens de câmeras que possam ter flagrado a ação dos bandidos.

Pouco antes de ser morta, a rainha de bateria publicou em uma rede social a seguinte mensagem: “Eu sou feliz por isso. Vivo intensamente sem sequer pensar na opinião dos outros”.

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Porto Alegre (Liespa), Juarez Guiterrez, se pronunciou sobre o caso.

“Por ser uma pessoa do meio do carnaval, que há mais de cinco anos vinha participando ativamente de escolas, a gente lamenta. São pessoas que têm disponibilidade, que estão engajadas em fazer um carnaval cada dia melhor e, lamentavelmente, uma pessoa jovem que nos deixa por um motivo indignante. O carnaval fica realmente sentido”, desabafou.

COMPARTILHAR