Horário de Verão termina neste fim de semana; saiba como manter sua conta de luz baixa

Reprodução/Shutterstock

O horário de verão termina na madrugada do próximo sábado para domingo (19/02), a partir da 0h, quando os relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A mudança de horário, adotada no Brasil desde 1931, visa proporcionar uma redução da demanda de energia, causando uma diminuição de consumo. Com isso, há uma menor demanda no horário de pico, já que há um maior aproveitamento da luminosidade natural, evitando o uso de energia gerada por termelétricas.

 

A previsão do governo é de que o Horário de Verão deste ano resulte em uma economia de R$ 147,5 milhões. Na edição anterior (2015/2016), a medida possibilitou uma economia de R$ 162 milhões. “O setor elétrico precisa de aproximadamente R$ 150 bilhões/ano. Logo uma economia de 147,5 milhões é pouco. Caberia uma melhor discussão se os transtornos criados pelo horário de verão, especialmente em perda de produtividade decorrentes da adaptação das pessoas a um novo ritmo circadiano, não ultrapassa em muito essa ‘economia’. O efeito seria melhor se todos fizessem sua parte diariamente”, avalia o professor Mauricio Tavares, coordenador do curso de Engenharia Elétrica do Centro Universitário IESB.

Publicidade

 

Entre as medidas que podem reduzir o impacto no consumo da energia, o professor destaca a adoção de lâmpadas tipo LED ou fluorescente, que apresentam um nível de eficiência energética maior do que as comuns; usar moderadamente equipamentos como ar condicionado e ajustar a temperatura do chuveiro elétrico, maior vilão do consumo doméstico, para a posição desligado/verão.

 

“Na hora de comprar novos aparelhos, prefira aqueles com selo A de eficiência energética do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica. O selo tem quatro categorias: A, B, C e D, que vai do mais ao menos eficiente em relação ao gasto de energia, respectivamente. Outra sugestão é tirar os aparelhos eletrônicos da tomada, evitando o modo stand by. Apenas essa medida pode gerar uma economia de 12% nas contas de energia elétrica”, explica Tavares, que também recomenda um cuidado especial com a geladeira ou freezer.

 

“Fique atento à manutenção do aparelho e troque as borrachas da porta sempre que necessário. Evite abrir a geladeira sem necessidade, pois cada vez que a porta é aberta, a temperatura no interior do aparelho aumenta e o motor precisa trabalhar mais para resfriá-la. Além disso, regule corretamente o termostato, deixando-o adequado à temperatura ambiente”, orienta.

 

Outras dicas simples do professor são: acumular o máximo de roupa para lavar e passar de uma única vez, evitando o uso contínuo de máquina de lavar e ferro de passar roupar; e priorizar o fogão a gás, evitando o uso do microondas ou fornos elétricos para preparar comida. “É preciso estar ainda mais atento quando as bandeiras tarifárias estiverem amarela ou vermelha, pois nesses períodos, o preço final da conta de luz fica mais elevado. A economia de energia é uma prática que deve ser seguida por todos. Somente com uma consciência coletiva e sustentável, podemos chegar à melhores resultados”, conclui Tavares

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA