Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Atos contra cortes na educação ocorreram em cerca de 190 cidades do país

atos

Da redação
redacao@grupojbr.com

A Greve Geral da Educação movimentou o país nesta quarta-feira (15). Ao menos 170 cidades (incluindo capitais de todos os Estados e o Distrito Federal) receberam atos contra cortes no repasse de verbas à educação.

Algumas universidades e escolas públicas aderiram à greve e suspenderam atividades. Confira resumo das manifestações nos grandes centros:

Distrito Federal

Em Brasília, o ato começou por volta de 9h e concentrou cerca de sete mil estudantes, professores de instituições públicas e particulares e demais apoiadores da causa. Todos se concentraram no Museu Nacional da República e seguiram rumo à Praça dos Três Poderes, esbravejando: “A nossa luta é todo dia! Educação não é mercadoria!”.

São Paulo

A Universidade de São Paulo (USP) e a Avenida Paulista receberam manifestações. Pela manhã, a USP teve uma das entradas fechadas. À tarde, o público se concentrou em frente ao vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Em várias outras cidades paulistas também aconteceram atos, como Campinas, Santos, Sorocaba, Bauru, Marília, Piracicaba, São José do Rio Preto, entre outras.

Rio de Janeiro

Na Capita, a Candelária (no centro), a Praça XV e as avenidas Presidente Vargas e Rio Branco foram palco dos atos. Universidades e escolas, como o Colégio Pedro II, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Estadual do Rio de Janeiro pararam as atividades.

Na Região Serrana há manifestações em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo. Na Região dos Lagos, Maricá também ficou movimentada.No Sul do Rio, houve atos em Valença, Volta Redonda e Angra dos Reis.

Bahia

Escolas públicas e particulares da Bahia aderiram em peso à paralisação. Os protestos aconteceram em Feira de Santana, Vitória da Conquista, Ilhéus e Juazeiro do Norte, no interior do estado.

Minas Gerais

Estudantes Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) estavam nas ruas desde às 7h, carregando faixas como “Luto pela educação” e “A aula hoje é na rua”.

Escolas municipais e estaduais, além de universidades e instituto federais das regiões da Zona da Mata e Campo das Vertentes também aderiram à paralisação, bem como servidores e estudantes de Montes Claros. Em Uberaba, Uberlândia e Divinópolis, também.

Bolsonaro está em Dallas

Enquanto os protestos aconteciam em todo o país, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) estava em Dallas, nos Estados Unidos, recebendo premiação pessoal. Ao chegar em território americano, ele foi perguntado a respeito e respondeu de forma ríspida. “Se você perguntar a fórmula da água, não sabe, não sabe nada. São uns idiotas úteis que estão sendo usados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo das universidades federais”, disse o presidente.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas