40% da população do Centro-Oeste consome frutas diariamente

Pesquisa da Cervejaria Colorado, desenvolvida pelo Instituto Qualibest mostra que 90% das pessoas consomem frutas apenas ‘in natura’, enquanto 30% das frutas nem chegam ao ponto de venda por não estarem perfeitas

Divulgação

Uma pesquisa online realizada pelo Instituto Qualibest, em âmbito nacional revelou a percepção das pessoas em relação ao consumo de frutas no país. Na região Centro-Oeste, por exemplo, 40% dos respondentes declaram consumir frutas diariamente. A maioria (93%) o faz apenas in natura e apenas 59% faz uso em sucos, ou seja, não reaproveita a fruta em receitas e outras preparações.

Outro importante insight mostrou que a população brasileira tem pouco conhecimento sobre frutas nativas e consomem com mais frequência as tradicionais bananas, maçãs, peras e abacaxis. A pesquisa ainda mostra que supermercados e hipermercados são o principal local de compras de frutas, e quando há a possibilidade de comprar direto do produtor, o critério qualidade e padrão é mantido.

Publicidade

Exemplos de sabores menos conhecidos são algumas das frutas usadas nas novas cervejas da Colorado, uma das pioneiras em cerveja artesanal no país, que traz uma linha de cervejas frutadas com caju, uvaia, graviola e frutas vermelhas brasileiras (amora-do-mato; cereja-do-rio-grande e grumixama).

Caju: seu cultivo é muito comum no nordeste do Brasil e está entre as frutas nativas mais conhecidas. Sua colheita é realizada de agosto a janeiro. E da mistura de uma White IPA com o caju, a Colorado criou a cerveja Nassau (nome em homenagem a Mauricio de Nassau).

Uvaia: mais frequente no sul do país, é muito cultivada em pomares domésticos. De aparência alaranjada e aveludada, tem sabor suave e é rica em vitamina C, frutifica de setembro a janeiro. É usada na receita da Colorado para uma Session IPA, e é chamada de Eugênia, nome científico da Uvaia.

Graviola: ainda considerada nativa mesoamericana, foi adotada em terras tropicais. Podendo pesar até oito quilos, tem sabor agridoce e toque cítrico. Sua colheita é feita de dezembro a abril. A Cervejaria casou a maciez da Cream Ale com o agridoce da graviola e nasceu a Murica, uma homenagem ao nome científico da Graviola, Annona muricata.

Frutas vermelhas brasileiras: a união da amora-do-mato, cereja-do-rio-grande e grumixama, frutinhas de coloração que varia de vermelho para roxo-escuro, vermelho para negro, são comuns em quintais brasileiros, apesar de muito desconhecida pelos respondentes da pesquisa. Frutificam de outubro a dezembro, sendo a grumixama mais rara e de colheita possível de novembro a dezembro. Foram misturadas pela Colorado para criar a Fruit Beer Rosália, que recebe esse nome pelo consumidor mais assíduo do alimento, o o mico-leão-dourado, ou Leontopithecus rosalia.

Desde que surgiu, a marca traz um toque de brasilidade em suas cervejas. Água, malte, lúpulo e levedura ganham diversas releituras, inspiradas na diversidade de ingredientes que o Brasil possui. E é seguindo essa lógica que a Colorado buscou na biodiversidade do país frutas para sua nova linha de cervejas e despertou para a questão das frutas brasileiras, representantes da biodiversidade do país e que são, praticamente, esquecidas e desperdiçados. Tanto que 30% das frutas nem chegam ao ponto de venda por causa de sua aparência e 92% das pessoas as consomem apenas in natura, não aproveitando outras utilizações como receitas de geleias, sucos, bolos e até cervejas.

A Colorado então decidiu convidar as pessoas para outra visão das frutas, mostrando que todas elas têm potencial e sabor. As feias, as bonitas, as que ninguém conhece. E criou “O Sabor é Cego”, uma grande iniciativa para que mais pessoas entendam a importância das frutas e valorizem a nossa biodiversidade. Vídeos online, posts, ações de rua e até uma plataforma de crowdfunding fazem parte da iniciativa, convidando o consumidor a apoiar, junto com a marca, pequenos produtores e projetos que priorizam frutas.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR