Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Esperança?

Um time que está há mais de 800 minutos sem marcar um gol sequer merece a confiança de sua torcida?
Sinceramente, não.
E por que escrevo isso?
Porque na noite de quarta-feira, após a derrota por 2 a 0 diante do Atlético Paranaense, no Maracanã, pela semifinal da Sul-Americana, o Fluminense atingiu esta marca.
Na realidade, são quase 900 minutos. Uma bobagem de 15 horas.
Já imaginaram?
Para que o leitor tenha ideia do que isso representa, segundo levantamentos, isso jamais havia ocorrido na história do clube – que foi fundado em 1902.
Entenderam?
Passaram-se 116 anos para que o tricolor carioca alcançasse tão desagradável marca.
E o que os torcedores podem esperar?
Irônicos, os rivais afirmam que, para escapar do rebaixamento, domingo, o Fluminense precisa apenas empatar com o América Mineiro.
Um 0 a 0 basta, provocam.
O problema, ou melhor, mais um dos problemas, é que a defesa montada por Marcelo Oliveira não consegue passar sem levar um golzinho.
Aí, marcar, um gol que seja, será fundamental para garantir o Fluminense na Série A em 2019.
Mas como já são quase 15 horas sem marcar…

Que pena…
Muito se reclama quando um clube manda embora um treinador após uma série de maus resultados.
Fala-se em desrespeito, falta de profissionalismo…
Concordo com tudo isso.
Mas… O que dizer do que está fazendo Renato Portaluppi?
Há tempos o treinador manifesta seu desejo/interesse em treinar o Flamengo.
É um direito seu.
Ele considera que, comandando o rubro-negro carioca, ficará mais próximo da seleção brasileira.
Pode ser. Quem sabe?
Mas daí a desrespeitar seu atual empregador…
Não custa lembrar que semana passada foi amplamente informado que ele, Renato, iria encontrar-se com cartolas do Flamengo – após a partida do Grêmio contra o rival carioca.
Coincidência ou não, o rendimento do Imortal foi abaixo da crítica. Como se os jogadores estivessem mandando um recado que não gostaram da sua atitude.
O Grêmio, talvez finalmente acordando da real situação que se aproxima, já fala em um substituto.
Que Renato Portaluppi saiba conduzir sua carreira, lembrando que quem desrespeita está sempre mais perto de ser desrespeitado.

Reflexo
Sabem quem não gostou nada, nada, do tumulto ocorrido na final da Libertadores (final que ainda não aconteceu, é sempre bom lembrar)?
O Uruguai.
Acham estranho?
Vou explicar… Os uruguaios montaram, com a Argentina e o Paraguai, uma candidatura tríplice para receber a Copa do Mundo de 2030, ano do centenário daquela competição.
Só que os problemas e a sensação de insegurança demonstrada pelas parceiros caiu muito mal junto à Fifa.
Lembrando que existem várias outras candidaturas – inclusive uma lançada, meio na encolha, há uns dez dias, com Portugal, Espanha e Marrocos.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas