Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Beicinho

O governo do Rio de Janeiro gastou quase R$ 2 bilhões na reforma do Maracanã.

Reforma, não, na destruição do Maracanã.

Se não acredita, procure imagens do velho estádio e veja como está – mas isso é conversa para outro dia.

Pois bem…

Gastos os tais R$ 2 bilhões, o estádio foi privatizado.

Hoje se sabe que tanto a obra, quanto os procedimentos posteriores, teriam sido fraudados, colocando dinheiro no bolso de muitos corruptos.

O novo governador do Rio de Janeiro, preocupado com o que vem acontecendo (principalmente depois da vergonhosa atuação do consórcio que administra o estádio na decisão da Taça Guanabara), decidiu romper a concessão.

Já avisou que os donos deverão “meter o pé”, como dizem os jovens, até o dia 16 de abril.

Só que, até lá, acontecerão as semifinais do Campeonato Carioca.

E o que faz o consórcio?

Bem, de repente, sem mais nem menos, avisa que devido ao grande número de jogos no estádio, o número de jogos deverá ser limitado.

A “limitação” começaria a acontecer já neste meio de semana, nas semifinais da Taça Rio, o segundo turno do Estadual.

Para os “administradores” (assim mesmo, entre aspas), ou o Fla-Flu, ou Vasco x Bangu, deveria ser realizado em outro local.

Entenderam?

Pois se entenderam, por favor, me expliquem.

Ainda mais depois de vermos que, apesar da alegação de o gramado estar ruim, podermos verificar que não é isso que acontece.
Está mais do que claro que os donos da empreiteira, insatisfeitos, decidiram fazer graça e retaliar o governo.

Tudo isso porque não conseguem (jamais conseguirão) explicar os borderôs pouco explicativos que fornecem após as partidas.
São gastos exorbitantes em despesas desnecessárias.

Infelizmente o governador do Rio falhou.

No lugar do “aviso prévio” aos donos especuladores, deveria parar com a força policial ali no antigo portão 18 e mandar saírem de imediato do Maracanã.

O futebol carioca (e o brasileiro) agradeceria.

De novo

Hoje tem o time de Tite em campo.

A equipe que usa a camisa amarela com um escudo encimado por cinco estrelas estará em campo, em Praga, para enfrentar a República Tcheca.

Credenciado que fui para a partida (infelizmente não pude ir), recebi avisos da Federação Tcheca de Futebol acerca dos procedimentos para o jogo.

Falavam em área destinada à imprensa, à zona mista após a partida, às regras para os fotógrafos…

Só não disseram o que Tite deveria fazer para termos em campo um arremedo de time, que não nos envergonhasse.

Lembro que os tchecos, na sexta-feira, levaram uma enfiada da Inglaterra pelas eliminatórias da Eurocopa e, mais do que certamente, não desejarão pagar o mesmo mico – agora diante de seus torcedores.

É bom que Tite e seus apadrinhados resolvam jogar alguma coisa se não quiserem passar vergonha.

Se bem que… Será que não seria melhor acontecer isso para esse arremedo de pastor/treinador ser logo detonado?

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas