Siga o Jornal de Brasília

Sem Firula

Até quando?

Na primeira fase, o Corinthians sofreu, muito, para classificar-se diante do Ferroviário.
O colunista arrisca dizer que, se o time cearense não tivesse aberto mão de jogar diante de seus torcedores, talvez conseguisse a vaga.
Preferiu uns trocados e trocou Fortaleza por Londrina. Caiu.
Nesta quarta-feira, contra o fraco Avenida, o Timão sofreu de novo. E muito.
O placar final de 4 a 2 nem de longe diz o que foi o jogo.
Os gaúchos abriram 2 a 0, mandaram uma bola na trave quando estava 2 a 1 e, não fosse a infelicidade de a bola tocar num jogador seu e desviar do goleiro, certamente levariam a decisão da vaga para os pênaltis.
O público do Itaquerão (pequeno, cerca de 22 mil torcedores) sentiu.
Fabio Carille está cada vez mais com seu trabalho em dúvida.
Por enquanto a classificação está saindo, mas e quando a sorte não estiver do lado do Timão?

Erros
Durante a tarde de quarta-feira, recebi de um amigo chileno a informação que várias equipes de seu país, disputando a Libertadores e a Sul-Americana, tinham problemas na inscrição de jogadores.
Alguns dos times enfrentam brasileiros.
O amigo lamentava os vacilos de seus compatriotas e afirmava “como ficou fácil” para os brasileiros se classificarem.
À noite, porém, a Conmebol divulgou uma relação com 21 times com problemas de inscrição de jogadores.
Os chilenos, que eu já sabia, não estavam sós.
Times do Paraguai e da Venezuela constavam da lista.
E brasileiros também: São Paulo e Atlético Mineiro (Libertadores, ou melhor, pré Libertadores) e Botafogo, Santos, Bahia, Fluminense, Corinthians e Chapecoense (Sul-Americana).
De pronto a entidade continental disse que os erros eram devidos “às associações nacionais e aos clubes”, eximindo-se de qualquer vacilo.
Dizia mais, a Conmebol: os torneios continuarão normalmente até que exista uma solução para o caso.
Estranho, não é mesmo?
Vamos, porém, à prática.
O São Paulo já está fora da pré-pré Libertadores. O Galo, na mesma noite, bateu o Defensor fora de casa e colocou um pé na fase de grupos do torneio.
Do pessoal da Sul-Americana a situação é mais complicada.
O Fluminense, por exemplo, tem seu rival também com problemas (o Antofagasta, do Chile).
A Chapecoense fora eliminada na véspera, por um time que também está com erros (o La Calera, do Chile).
O Botafogo acabava de classificar-se ao bater, de novo, o Defensa y Justicia, da Argentina.
O Santos está razoavelmente bem contra o River Plate, do Uruguai.
Corinthians e Bahia não estão bem contra Racing e Liverpool, respectivamente.
A pergunta que não quer calar: vai demorar muito a solução?
Sim, porque os clubes que estão “em situação legítima” ficarão esperando pelos rivais.
Até quando?
Lembrando, por exemplo, que no caso do tricolor carioca, em tese os dois podem sair, classificando de pronto o rival da fase seguinte.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas