Quantidade

Todo início de temporada acontece a mesma coisa: contratos de empréstimos de jogadores terminam e… Bem, acontece quase um engarrafamento de atletas, que serão utilizados ou não, nos clubes. No Rio de Janeiro, segundo levantamentos realizados, o Fluminense abre o ano com mais de 100 jogadores sob contrato (incluam neste total, por favor, sub-17, sub-20 e todos aqueles que gerem algum tipo de despesa ao clube). Em São Paulo a situação é semelhante. O Palmeiras, campeão brasileiro e de olho em reforços para disputar a Libertadores da América, “descobriu” que está com 88 jogadores na sua lista neste início de ano. Muito? Pouco? Suficientes? O total, apesar de absurdamente alto, é menor do que Santos (98) e Corinthians (94). Superior apenas ao São Paulo (84), entre os grandes paulistas.

Claro, repito, que nesta contabilidade estão incluídos juvenis e juniores. Mesmo assim, se reduzirmos para um terço o número de atletas disponíveis para Eduardo Batista, teríamos cerca de 30 jogadores. Serão necessários tantos? Será que todos têm condições de jogar no Palmeiras ou caímos naquela velha história de que quantidade não faz qualidade? Ou, pior, de que ter um mau jogador é um risco porque, em algum momento, ele poderá ser utilizado – e fazer lambança…

Publicidade

Torcedores

Os rumores eram fortes e foram confirmados ontem. Conca, que já atuou no Vasco (sem maiores destaques) e no Fluminense (onde tornou-se ídolo da galera, tendo sido inclusive eleito o melhor jogador do Brasileiro) assinou com o Flamengo. Ou melhor: Conca será cedido ao Flamengo, até o final do ano, sem custos ao clube pelos chineses. O argentino recupera-se de grave contusão e irá recuperar-se no clube carioca – daí a cessão sem custos. O Flamengo conseguiu convencer os cartolas da China que seria interessante que o jogador se recuperasse em ambiente conveniente, oferecendo seu centro de treinamento para isso – lembrando que a família da mulher do jogador é carioca.

Aí, com a mesma reação de marido enganado, a torcida tricolor iniciou, rapidamente, sua resposta. Ontem, na chegada de dois novos reforços para seu clube, vindos do Equador, imediatamente a galera lançou musiquinhas onde exaltava os novos contratados e criticavam duramente o ex-craque, lembrando que as novidades eram melhores do que Conca e… Bem, as ofensas eu passo e não digo, não.

Apressado…

O site do Cruzeiro lançou a novidade: no dia do aniversário do clube Thiago Neves era a nova contratação do clube. O presidente chegou a dizer sim, mas… Do nada, a informação foi retirada das chamadas redes sociais. Entre clube e jogador parece estar tudo acertado, mas ainda existem alguns problemas burocráticos, principalmente com o Al Jazira, clube atual do jogador, para resolver. Fica a pergunta: e se der alguma zebra com relação à negociação com o clube? Ou, pior: se depois de anunciada a contratação, Thiago Neves decidir pedir um pouco mais… Como fica a situação do clube? Vai pagar para “cumprir a promessa” ou recusar-se e deixar a galera com gosto de guarda-chuva por perder um reforço importante?

No mercado

A informação caiu como uma bomba para a torcida do Liverpool: Phelippe Coutinho, um dos destaques da equipe (atualmente contundido) está na lista de pretensões do Paris Saint-Germain nesta janela de contratações de janeiro. O mais interessante é que quem está muito interessado nesta possível negociação é o Vasco, que como “clube formador” teria (terá) direito a um percentual dos valores acordados. E neste período de vacas muito magras, qualquer grana é muito bem vinda, não é mesmo? Mas não deixa de ser interessante que a negociação entre um clube inglês e um francês acabe pingando uns trocados nas contas brasileiras, lá isso é.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR