Rollemberg: Vai ser bom até para o servidor

O governador Rodrigo Rollemberg, em mais uma tentativa de convencer que o PLC 122/2017 é “bom pra todo mundo”, disse que os servidores também serão beneficiados pelas mudanças que ele propõe nas aposentadorias. “A cidade tem uma grande oportunidade de virar a página da crise, com a garantia dos pagamentos em dia. O primeiro beneficiado com isso tudo será o próprio servidor público e, no segundo momento, toda a população do DF”, discursou ele, ontem.

Garantia na Justiça

Publicidade

O Sindser avisa que a ameaça do governo de que vai parcelar salários caso o projeto da previdência não passe na Câmara Legislativa não se cria, já que o próprio sindicato conseguiu liminar na Justiça “proferida pelo desembargador José Divino, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), em um mandado de segurança preventivo contra o anúncio feito por Rollemberg”. A decisão, que continua em vigência, garante que os salários sejam pagos até o quinto dia útil e de forma integral.

Multa

Uma nova petição será levada ao desembargador, avisa o sindicato. Desta vez, requerendo multa diária no caso de descumprimento da liminar. A própria Justiça, diz a entidade, considera que o parcelamento de salário que Rollemberg quer fazer é uma medida “ilegal e abusiva”.

De um para o outro

Questionamento do deputado distrital Wellington Luiz (PMDB) ao líder do governo, Agaciel Maia (PR), ontem, no Plenário da Câmara Legislativa: ”Será que é justo eu entrar na sua casa, fazer uma reforma usando o seu dinheiro e nem perguntar como você quer que seja feita essa reforma?”. “Não estamos discutindo isso”, resumiu o governista, ao insistir na tese de que o que pretende o governo “é simples”: pegar dinheiro poupado por servidores para pagar outros servidores.

Demissão à vista

Está previsto para ser votado hoje, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, o parecer do senador Lasier Martins (PSD-RS), ao PLS 116/2017, que trata da demissão de servidor público estável por insuficiência de desempenho. O texto, de autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-RN), na visão dos sindicatos que defendem servidores, ameaça a estabilidade, uma vez que a demissão por insuficiência de desempenho poderá ocorrer a qualquer tempo. Atualmente, só é possível a dispensa de servidor concursado por mau desempenho durante o estágio probatório.

Mobilização

Assim como outras entidades, o Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do MPU no DF (Sindjus-DF) organiza uma ofensiva para pressionar os senadores e tentar barrar a aprovação do projeto. As categorias são convocadas para as mobilizações que, entre outras pautas, denunciarão a “proposta de desmonte do serviço público”.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR