Disputas por atribuições

Servidores públicos, que já têm uma relação desgastada com o Governo do DF, apontam que, atualmente, há disputas por atribuições entre carreiras que compõe o quadro de pessoal. Depois de a Polícia Militar fechar um frigorífico na região de Sobradinho dos Melos, a Associação dos Auditores Fiscais de Controle Ambiental do DF (Aficam) aponta que há claro risco de falhas. Atendendo a uma denúncia, policiais cobraram a licença de funcionamento do local e, ao tomarem conhecimento do documento supostamente vencido, conduziram os proprietários à Delegacia do Meio Ambiente. O problema, diz a associação, é que o Ibram, órgão responsável por este tipo de fiscalização, informou que, do ponto de vista ambiental, o estabelecimento está legalmente coberto pela renovação tácita da licença de operação por ter solicitado dentro do prazo de 120 dias a renovação do documento.

Na praia

Publicidade

Depois de policiais civis serem deslocados para o Na Praia, o Tribunal de Justiça do DF decidiu que não cabe à corporação determinar o deslocamento de agentes para “policiamento ostensivo” no evento particular. De acordo com a Justiça, acionada pelo Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF), a segurança do evento, que é privado, cabe à organização. E que justifica-se o deslocamento de policiais militares que, dentre as atribuições específicas, está o policiamento ostensivo como medida preventiva da prática de ilícitos.

Falhas recorrentes

Sindicatos e e associações culpam a atual gestão pelas falhas recorrentes. “O governo Rollemberg não coloca ordem na casa. Pelo contrário, gosta de incentivar disputas entre as carreiras do serviço público”, diz Waltecy Júnior, vice-presidente da Associação dos Auditores Fiscais de Controle Ambiental do DF (Aficam).

Operações comprometidas

Depois que o Ministério da Justiça anunciou que não será possível manter todas as operações da Polícia Federal, com o corte de recursos, o Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal (Sindipol-DF) manifestou repulsa ao discurso do governo para justificar o “estrangulamento de importantes operações da PF, incluindo a Lava Jato”.

Alívio no SLU

A semana de descanso de Rollemberg trouxe alívio para parte dos servidores do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). É que a diretoria do órgão determinou o retorno de quadros que hoje estão lotados na Secretaria de Saúde e atuam, na maioria, no combate à dengue. O retorno implicaria na perda de gratificações e mais um baque para quem já enfrenta uma redução salarial significativa, além do enfraquecimento do combate ao mosquito transmissor da doença, conforme o Sindireta, que representa a categoria.

Graças ao vice

O Sindireta aproveitou a ausência do governador e recorreu ao vice, Renato Santana, que determinou a permanência dos servidores na Saúde. Já tem sindicato aproveitando a ideia e torcendo para que o governador tire licença-prêmio.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR