Cotas para concursos são constitucionais

O Supremo Tribunal Federal (STF) declarou, ontem, a constitucionalidade da lei das cotas em concursos públicos. A norma reserva 20% de vagas para negros em concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos na administração pública federal e em autarquias, fundações públicas, empresas públicas e sociedades de economia mista controlados pela União. Foi unânime a decisão dos ministros, que julgaram uma ação ajuizada pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Para o ministro Roberto Barroso, relator da ação, as cotas precisam ser avaliadas em dois aspectos: dever de reparação histórica e existência de racismo estrutural na sociedade.

Todos pela segurança

Representantes das carreiras da Polícia Civil e dos bombeiros e policiais militares do DF lançaram um movimento conjunto para “remover a resistência do governador Rodrigo Rollemberg em relação às forças de segurança”. E convocam assembleia para o dia 20 de junho, onde devem discutir o posicionamento dos servidores em relação ao movimento. Até lá, estão previstas reuniões de planejamento e execução.

No Congresso

Representantes do Sindicato dos Policiais Civis do DF foram recebidos no Congresso Nacional pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR) e pelo deputado federal Laerte Bessa (PR-DF). Servidores estão em busca de apoio em nível federal para conseguirem a equiparação salarial com a Polícia Federal.

Mobilização

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) organiza para o próximo dia 20 de junho uma “grande mobilização” contra as reformas da Previdência e Trabalhista. Segundo o secretário-geral nacional da CUT, Sérgio Nobre, a data será “um esquenta” rumo à “greve geral” contra os projetos “que atacam os direitos de toda a classe trabalhadora”.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR