Aposentados à espera de incorporação

Seiscentos servidores do INSS se aposentaram aguardando a incorporação da Gratificação de Desempenho de Atividades do Seguro Social, mas até hoje nada. O Ministério do Planejamento não implementou o sistema de processamento que liberaria os pagamentos. Quem denuncia é a Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps). “A frustração é grande entre os servidores”, diz o vice-presidente executivo da entidade, Paulo César Regis de Souza, segundo quem a lei garante que os servidores incorporariam 67% em janeiro de 2017, 82% em janeiro de 2018 e 100% em janeiro de 2019. Nas contas da Associação, 13 mil servidores atualmente recebem a gratificação como abono de permanência em serviço.

Perdas

Sem a incorporar a gratificação, a Anasps estima que o servidor terá perda de 60% dos vencimentos.

Contra Serraglio

Auditores técnicos federais de finanças e controle se manifestaram ontem contra a nomeação de Osmar Serraglio como ministro da Controladoria-Geral da União (CGU). “Repudiaremos sempre, e com veemência, qualquer tentativa de desviar o órgão do cumprimento de sua missão institucional, que é a de servir o País e o povo brasileiro”, diz trecho de nota de repúdio publicada pelo Sindicato Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle (Unacon Sindical).

Na Justiça

O Sindicato dos Policiais Civis do DF ajuizou ação na Justiça Federal para que a União, por meio do Ministério do Planejamento, negocie a recomposição das perdas salariais da categoria, depois que o Governo do DF deixou claro que não enviará mensagem indicando a equiparação dos salários com a Polícia Federal.

“Criminômetro”

O sindicato planeja lançar, nos próximos dias, o “Criminômetro” – placar eletrônico que irá expor o número de crimes violentos registrados na cidade durante a gestão do governador Rodrigo Rollemberg.

32 foragidos

Em contrapartida às investidas do sindicato e, mesmo com o conhecido deficit de pessoal, a Polícia Civil do DF tem se empenhado em divulgar os “feitos” da categoria: em duas semanas, os agentes da corporação prenderam 32 foragidos da Justiça, por exemplo. As operações foram concluídas em pelo menos nove regiões administrativas e por crimes diversos, como homicídio, furto, roubo, receptação e tráfico de drogas.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR