COPA CENTENÁRIA

Há 374 dias, a Confederação Sul-Americana de Futebol-CONMEBOL, juntamente com Confederação de Futebol da América do Norte, Central e do Caribe, abriu o torneio comemorativo aos 100 anos da primeira Copa América. Rolou entre 3 e 26 de junho de 2016, nos Estados Unidos, primeira disputa fora da América do Sul.

A competição teve, também, pela primeira vez, 16 seleções nacionais – 10 sul-americanas e seis da outra confederação – Estados Unidos, México, Costa Rica, Jamais, Panamá e Haiti – e repreentou, ainda, o primeiro torneio unindo as Américas, desde os Campeonatos Pan-Americanos de Futebol-1952/1956/1960.

Publicidade

Com estádios, datas e horários definidos, em17 de dezembro de 2015, as e horários dos jogos. Mais: foi a quarta vez que a CONMEBOL realizou um de seus torneios nos Estados Unidos, após a Recopa Sul-Americana no país, em 1990/2003/2004. E o torneio trminou com o Chile campeão, vencendo a Argentina, na decisão por pênaltis (4 x 2) e com 0 x 0 no tempo normal de jogo e na prorrogação.

Para o torcedr brasileiro, a participação da seleção canarinha foi um desastre. Comandada por Dunga, campeão mundial e capitão da equipe na Copa doMundo-1994, no mesmo país desta disputa, a rapaziada dele sucumbiu, fazendo partidas fraquíssimas e sendo eliminadas na prmeira frase.

Os canarinhos estrearam em 4 de junho daquele 2016 nada bom para a rapaziada, empando, por 0 x 0, em um sábado, com o Equador, no Estádio: Rose Bowl, em Pasadena-EUA. O prélio, apitado pelo chileno Julio Bascuñan-Chile, teve 53.158 presentes e este BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luis; Casemiro, Elias (Lucas Lima), Renato Augusto, Willian (Lucas Moura) e Phillipe Coutinho; Jonas (Gabigol). EQUADOR: Dreer; Paredes, Achiller, Mina e Ayoví; Gruezo, Noboa, Montero (Martínez) e Antonio Valencia; Bolaños (Gaibor) e Enner Valencia (Jaime Ayoví). Técnico: Gustavo Quinteros.

Quatro dias depois, a moçada de Dunga foi ao Camping World Satadium, em Orlando, e animou a galera, mandando 7 x 1 no fraquíssmo Haiti, diante de 28.241 espectadores e escutando o apito do norte-americano Mark Geiger. Na rede, pintaram Phillippe Coutinho, aos 12, e aos 27 minutos do primeiro tempo, e aos 44 do segundo; Renato Augusto, aos 33 da fase inicial e aos 39 da final, mesma etapa em que Gabriel “Gabigol” Barbosa, aos 12, e Lucas Lima, aos 21, marcaram os seus tentos, enquanato James Marceli, aos 13 do segundo tempo, descontou para os haitiano – Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Gil e Filipe Luís; Casemiro (Lucas Lima), Elias (Walace), Renato Augusto e Willian; Phillipe Coutinho e Jonas (Gabigol)) atuaram.

Fora uma vitória enganosa, pois o time do Haiti era fraquíssimo. Em 12 de junho, veio a a grande decepção do ano: canarinhos eliminados, pelo Peru, se bem que o gol destes foi ilegal, marcado com a ajuda de uma das mãos de Raúl Rudíaz, aos 29 minutos do segundo tempo.

Jogado no Gillete Stadium, em Foxborough, Massachusetts, o jogo da terceria rodada do Grupo B foi apitado pelo uruguaio Andrés Ismael Cunha Socas e prestigiado por 36.187 desportistas – Alisson; Daniel Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís; Elias, Renato Augusto, Willian e Lucas Lima; Philippe Coutinho e Gabriel (Gabigol) Barbosa (Hulk).

A pisada na bola duante a Copa América Centenária valeu a demissão do treinador Dunga – Carlos Caetano Bledhorn Veri – e a sua substituição, por Tite – Aldenor Bachi –, que recuperou o potencial da rapaziada, em jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo-2018, grantindo a classificação canarinha, antecipadamente.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR