Merchandising na TV passa a sensação do qualquer jeito

Neste mesmo espaço, na última semana, foi destacado o crescimento de 15% no volume de ações de merchandising na TV comparado ao mesmo período do ano passado.
Fato salientado por ser um número bem significativo, mas também uma questão que, há muito tempo, faz por merecer maior aprofundamento, até pelo pouco caso que se observa em suas produções e exibições.
Salvo raras e honrosas exceções, a impressão é sempre do improviso, muitas vezes resumida a uma bancada xexelenta e duas pessoas enaltecendo as qualidades do produto. Uma pobreza que todos só têm a perder.
Por que não existe o empenho de se apresentar um trabalho melhor elaborado, inclusive em condições de se chegar a um efeito mais compensador? Uma iniciativa ou exigência que deveria partir das próprias TVs.
O improviso de agora me faz lembrar a Record, lá atrás, em seus tempos difíceis. Para levantar o dinheiro que ela tanto precisava, em várias ocasiões para honrar a folha de pagamento, foi inventada a fotografia de São Paulo, como fundo do cenário do “Programa Ferreira Netto”. Em cima de todos os prédios eram colocados “outdoors”, com marcas de cueca, whisky, café, pão de forma etc.
Pensando bem, considerando a questão da época, era até mais criativo e funcional que os de agora.

TV Tudo

Publicidade

Perfil

É curiosa a vida em algumas emissoras. Enquanto no SBT se paga para não falar de política, na Band acontece exatamente o contrário.
Quanto mais, melhor. Cada uma, claro, dentro das suas conveniências.

Derrubada

Enquanto para o SBT, a queda de audiência, na briga com as operadoras, não foi tão significativa, para a Record o estrago é dos mais violentos.
Os números do “Cidade Alerta”, do Marcelo Rezende, por exemplo, com a obrigação de alavancar a faixa da noite, caíram pela metade.

Mas tem uma coisa

Em se tratando de rendimento de programas, bom ou ruim, este não é o momento de ninguém se desesperar ou se vangloriar.
Esta coluna, por enquanto, vai se preservar quanto a divulgação dos números e só voltará a fazê-lo depois que toda essa situação voltar ao normal.
Assim como não é justo malhar o mau desempenho de alguns, também não é certo colaborar com outros em enganar o patrão.

E dá-lhe

Na briga das emissoras com as operadoras, por enquanto, quem está pagando a conta é o assinante.
Na Net, por exemplo, no lugar de um SBT, Record ou Rede TV!, ele passou a encontrar a Rede Gospel, com a quase uma volta ao cartaz do casal Hernandes, aparecendo praticamente o dia todo.

Anote

“A Casa” é o título definitivo do reality show do Marcos Mion, na Record, que vai reunir cem pessoas numa casa.
O original holandês tem o nome de “Get the F*ck Out of My House”, que, traduzido, significa “Cai Fora da Porra da Minha Casa”.

A propósito

As inscrições para aqueles que quiserem participar de “A Casa” serão abertas nesses próximos dias, com o início das gravações em maio, para estrear em junho.
Exibição na sequência do “Power Couple”.

Agora é um núcleo

Rodrigo Carelli, que antes cuidava apenas de “A Fazenda”, foi transformado como diretor do núcleo de realities shows na Record.
Além dela, com nova edição no segundo semestre, também estão sob a sua responsabilidade o “Dancing”, da Xuxa, “Power Couple” e “A Casa”. Está se virando nos 30.

Bastidor

Paolla Oliveira e Raul Gazolla, considerando que a união faz a força, têm se auxiliado mutuamente nos preparativos das cenas de “A Força do Querer”, da Glória Perez. O trabalho dos dois também exige muito da parte física.
Ele, como Allan, treinador de MMA, que tem a Jeiza, personagem dela, como aluna.
Gazolla, faixa preta em jiu jitsu, volta a trabalhar na Globo depois de 12 anos.

César Alves/Globo
César Alves/Globo

Tem data

“A Vila”, novo programa de Paulo Gustavo no Multishow, tem estreia confirmada para o dia 7 de agosto. As gravações começaram na semana passada e a ordem é abrir uma boa frente, por causa dos outros trabalhos do artista.
Na série, ele faz um ex-palhaço, que mora num trailer e acaba chegando em uma vila. Lá, vai encarar diversas situações.

Elenco

Além de Paulo Gustavo, cuja caracterização inclui uma peruca, também estarão em “A Vila” os atores Monique Alfradique, Teuda Bara, Katiuscia Canoro e Ataíde Arcoverde, entre outros.
No ar, o programa passará a impressão é que todo feito em externa. Só que não.
Será realizado em um enorme estúdio.

Bate – Rebate

· Hoje, 10 da manhã, Maria Cândida estreia seu programa diário na TV Aparecida.

· Amaury Junior e um grupo de amigos viajaram para Portugal, a passeio, na quarta-feira…

· … Nada de trabalho. Turismo mesmo.

· Para a temporada deste ano do “Música Boa Ao Vivo” no Multishow, que volta ao ar nesta terça, Anitta irá receber convidados internacionais…

· … O colombiano Maluma, com um deles, está fechado para o começo de maio.

· Rita Lisauskas, conhecida apresentadora e repórter da nossa TV, anuncia o lançamento do “Mãe sem Manual”, dia 6 de maio, 15h, na Livraria Cultura, do Conjunto Nacional, em SP.

· Uma segunda de estreia na Globo. Depois de “A Força do Querer” vai ao ar o primeiro capítulo de “Os Dias Eram Assim”…

· … Escrita por Ângela Chaves e Alessandra Poggi, a trama se inicia em 21 de junho de 1970, imediatamente após o encerramento da Copa do México…

· … No elenco, entre tantos outros, Sophie Charlotte, Renato Góes, Daniel de Oliveira, Maria Casadeval, Susana Vieira, Antônio Calloni e Gabriel Leone.

· Justiça se faça: trabalho da Viviane Araújo é um dos destaques de “Rock Story”.

C´est fini

Engana-se quem imagina que a Eyeworks tem preferência ou leva alguma vantagem ao ter seus trabalhos escolhidos na Band. A recíproca que é verdadeira.
A Eyeworks é uma das poucas que aceita as dificuldades atuais da Band.

Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA