Siga o Jornal de Brasília

Esplanada

Sempre junto

O MDB está ‘fechado’ com o futuro Governo de Jair Bolsonaro (PSL), sem a contrariedade do presidente eleito. É um pacto sigiloso de não agressão, neutralidade e – por ora, claro – sem ministérios envolvidos. Bolsonaro sabe que precisa da bancada do MDB no Congresso para sua governabilidade. Os caciques não pediram, mas é provável que mantenham cargos importantes no setor elétrico. O acordo envolve apoio da bancada a projetos de Bolsonaro que se identifiquem com a pauta emedebista. A senha para o apoio será a liberação da bancada para votações polêmicas, sem fechar questão.

Amigo, nem tanto
O presidente Michel Temer (foto) e o sucessor se falam muito bem, discretamente. E vai bem a parceria na transição. Mas nada de cargo ou embaixada para Temer em 2019.

Sem terremotos
O mercado reparou o silêncio ensurdecedor e republicado do futuro presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto (foto). Isso é elogiado pelo staff de Bolsonaro.

Luz em mim
Já alguns pavões anunciados como ministros ou em cargos importantes são monitorados pelo presidente eleito quando vão à TV e dão entrevista a jornais. Está ‘pegando’ mal.

Tamanho do posto
Uma raposa política notou as sucessivas e diárias citações de Bolsonaro a Paulo Guedes e a carta branca que dá ao seu ‘Posto Ipiranga’ em anúncios para a equipe econômica vindoura. Bolsonaro, publicamente, vai lavando as mãos. Não assumir responsabilidade conjunta é ruim, analisam, à boca pequena – mas torcem para dar certo.

Faísca
O veterano – e outros tantos na praça – temem o alto risco de explosão do posto e do combustível no galão ministerial em caso de insucesso. Não salvará o País uma simples frase de Jair: “Foi o Guedes”. Mas o time de estrelas promete sucesso. Tanto que ninguém – a Febraban, a CNI, investidores – reclamou até agora.

Lavagem
Tem muito empresário no eixo Rio-São Paulo começando a rezar o terço de joelhos com a entrada da delegada Érika Marena no MJ de Sérgio Moro. Vem operação a rodo. O primeiro sinal desse receio serão voos lotados, a partir desta semana, para o Caribe.

Mandetta
O deputado Luiz Mandetta (DEM-MS) no Ministério da Saúde é trato de Bolsonaro com o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Tudo vai se acertando na transição: Onyx prometeu apoio de ampla bancada suprapartidária na campanha. E Jair tem palavra. A conferir se o ministro acerta no trabalho.

Eco
Mandetta foi um dos parlamentares mais atuantes na Câmara contra a criação e renovação do Mais Médicos. Médico, ele usou a tribuna, reuniões de comissões e emendas para contestar o programa criado por Dilma Rousseff. Em emenda à Medida Provisória (n° 723) que renovou o programa em 2016, Mandetta propôs que os valores repassados ao Mais Médicos fossem pagos integralmente aos seus participantes.

Samba e política
O livro ‘Noca da Portela de todos os sambas’ será lançado dia 12 de dezembro, quando o grande sambista completa 86 anos, pela coleção de perfis da UERJ. Autor de ‘A hora da virada’, Hino das Diretas Já, o músico faz, em sua biografia, homenagem a Ulysses Guimarães, que o convidou para participar da campanha pela redemocratização.

ESPLANADEIRA

Alexandre Machafer e Hugo Carvalho receberam pelo Centro Cultural Cesgranrio as premiações do Rio Web Festival pelos seriados Bem Aventurados e Anos Radicais .
Serão conhecidos amanhã os vencedores do 2º Prêmio Policiais Federais de Jornalismo, promovido pela Fenapef. Foram 107 trabalhos de 54 profissionais. Dos 64 validados, 15 são finalistas.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas