Projeto derruba-delação

A base do presidente Michel Temer (inclui em especial o PSDB) iniciou o projeto derruba-delação. A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara aprovou proposta que invalida a denúncia de Joesley Batista, da JBS, por supostas fragilidades e irregularidades na gravação do diálogo com o presidente. Agora, o objetivo é fazer que na Comissão de Constituição e Justiça a proposta seja terminativa (não vai plenário), encaminhá-la para mesma tramitação relâmpago no Senado. Uma vez aprovada, vai a sanção e Temer desce a canetada. Isso livra ele e Aécio Neves de qualquer processo.

Tudo em vão

A Coluna cantou a bola há dias sobre o plano da base. Se isso vingar, Joesley terá que topar outra delação, sem as benesses da Procuradoria Geral da República.

Sem conspiração

Uma infeliz briga de bar de fim de noite levou à morte de dois delegados de PF em Florianópolis. A PF perdeu dois experientes profissionais no Rio de Janeiro.

Curral em chamas

A segunda fase da Operação Carne Fraca deflagrada ontem pega em cheio funcionários da Agricultura com estreitas ligações com a JBS em Goiás, terra natal da gigante.

Missão (im)possível

PSDB e DEM seguem em conversações sobre seu substituto num plano B, se a situação desandar para o presidente. Caciques dos dois partidos tentam chegar a um consenso sobre nome que não pleitearia concorrer à eleição em 2018. Há dois cotados. Rodrigo Maia, pelo DEM, e o ex-presidente Fernando Henrique, pelo PSDB.

Sois rei

O desafio do PSDB é retirar FHC do trono depois. Mesmo aos 85 anos, e com um ego gigante, ele, o pai da reeleição, será capaz de tentar a cadeira em 2018 e atrapalhar os planos
de grãos caciques
do próprio ninho.

Segunda leva

A PGR e a PF já tem farto material para desencadear nova etapa da operação Patmos. Uma das frentes de investigação flagrou empresários e políticos que frequentavam o escritório do advogado Willer Tomaz, no Lago Sul em Brasília. Há vídeos e fotos.

Que dupla

Willer, que desfilava de BMW e Ferrari, foi preso pela PF, juntamente com o procurador da República Ângelo Goulart Vilella, cooptado para fazer informações.

‘Pause’

Advogados do presidente Temer defendem que ele preste depoimento à PF só depois de a própria polícia judiciária periciar a gravação de sua conversa com Joesley.

Digital avança

Nem tudo está perdido na gestão pública. Há anos o Ministério das Comunicações investe pesado e a tecnologia avança. Após Brasília e São Paulo, Goiânia estreou o sinal digital de TV aberta.

Vigília

Auditores e técnicos de finanças e controle comemoraram a decisão do deputado Osmar Serraglio de recusar assumir o Ministério da Transparência. Os servidores avisam que vão manter a “vigília” para evitar a nomeação de “ um político suspeito” para a pasta.

Vigília 2

“Nosso órgão não pode ser usado como instrumento para salvar autoridades envolvidas em casos de corrupção”, avisa Filipe Leão, diretor do Sindicato Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle (Unacon).

Plantonista

O vice-Procurador-Geral da República, José Bonifácio de Andrada, estará em plantão em Brasília nas próximas semanas para tirar dúvidas de chefes dos Ministérios Públicos dos países que conduzem investigações relacionadas à Odebrecht.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR