Siga o Jornal de Brasília

Esplanada

Conversas portuguesas

Pressionado por colegas para abrir a CPI da Lava Toga, o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP, na foto), será cobrado também pelos togados no VII Fórum Jurídico de Lisboa, onde estará frente a frente com alguns dos ministros do Supremo Tribunal Federal. O evento tem o ministro Gilmar Mendes como um dos padrinhos – a faculdade IDP, de Brasília, ligada a ele, é a organizadora. O Fórum acontece de segunda a quarta-feira, e Alcolumbre, na volta a Brasília, será confrontado pelos seus pares para não interferir na votação em plenário, onde será decidido haverá ou não a investigação sobre atos dos ministros do Supremo.

Nosso Congresso

O Senado Federal estará fechado hoje. A direção da Câmara dos Deputados mandou aviso geral ontem, no fim do dia, dando ponto facultativo a servidores. E o ano avança, sem soluções.

Enquanto isso…

Os presidentes da Câmara e Senado, Rodrigo Maia e Alcolumbre, viajam para Lisboa onde passeiam e cumprem agenda oficial em evento de Gilmar Mendes.

Da bomba

O reajuste do óleo diesel nos postos será de 4,5%. Como antecipou a Coluna, a Petrobras e o Palácio chegariam a índice abaixo dos 5,7%. Embora o presidente não apareça nisso.

É guerra…

A deputada federal Alê Silva (PSL-MG), que acusou o ministro do Turismo e presidente da legenda em Minas, Marcelo Álvaro Antônio, de tê-la ameaçado de morte, montou uma força-tarefa de servidores do gabinete e apoiadores para monitorar e denunciar as “fakenews” divulgadas contra ela nas redes sociais.

…em casa

A parlamentar virou alvo de linchamento virtual após revelar as supostas ameaças do ministro durante reunião com correligionários no final de março, em Belo Horizonte. Todo o material – como áudios manipulados e prints falsos – que está sendo levantado pela equipe da parlamentar será repassado para a Polícia Federal.

Grita militar

Mesmo com o projeto na carona da reforma da Previdência, o que não se esperava há décadas, nem tudo é alegria na Caserna. Sargentos, cabos e soldados das Forças Armadas alegam que a proposta de reestruturação de carreiras (PL 1645/2019) apresentada pelo Governo não é justa porque ignora as peculiaridades de cada categoria.

Calma, dona

“Um terceiro sargento hoje ganha pouco mais de R$ 3 mil. É preciso que se enxergue a íntegra da tropa. Faltou afeição a quem elaborou a reestruturação da Previdência para com os praças”, critica a presidente da União Nacional de Familiares das Forças Armadas e Auxiliares, Kelma Costa. Ela diz ainda que os praças das Forças Armadas continuam sendo tratados como “a ralé do Exército” nas patentes.

E agora, Guedes?

Com o orçamento no vermelho – o rombo previsto para este ano é de R$ 139 bilhões – o Governo não definiu de onde sairá dinheiro para o 13º salário dos beneficiários do Bolsa Família. A alternativa é remanejar recursos de outros ministérios, mas ministros estão reticentes em já perder o ‘pouco’ que lhes sobrou.

Gordura?

A despeito do contingenciamento de R$ 29,7 bilhões nos gastos para conseguir cumprir a meta fiscal de 2019, o ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB-RS), tem dito que há “gordura” no orçamento para cumprir a promessa de campanha de Bolsonaro.

Dentista & livraria

José Dirceu está correndo ao dentista para fazer implantes em três dentes que o incomodam – resultado dos tempos de cadeia onde não conseguiu tratamento. Depois, sai em viagem pelo interior do Rio de Janeiro e Minas para lançar sua autobiografia. Dirceu, condenado na Lava Jato, tem aval do ministro Dias Toffoli, do STF, que lhe concedeu liminar há meses.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Mais lidas