PHS: Um presidente afastado e uma sede invadida

Acompanhado de quatro seguranças, dois aliados e um chaveiro, o presidente nacional afastado do PHS, Eduardo Machado, arrombou e invadiu a sede do partido, que fica no Lago Sul, ontem, em Brasilia. E tentou furtar, de lá, documentos da legenda e até objetos pessoais de funcionários. A polícia foi chamada e um carro, lotado de papéis do partido, foi guinchado. Machado, que até pouco tempo atrás nem filiado à sigla era, não se conforma por ter sido afastado do comando e, tenta – de posse de uma liminar da Justiça comum, que garante a regularidade da filiação dele no momento – impor a volta dele à presidência.

Fraudes

Publicidade

Só que a – falta de – filiação não foi a única razão que levou Machado a ser afastado da presidência do partido. Segundo a atual Executiva Nacional, entre outros motivos, decisões unilaterais tomadas em benefício próprio e até suspeita de fraudes fomentam o afastamento. Um processo disciplinar seria aberto para apurar as irregularidades, quando descobriu-se que nem sequer filiado ele era.

Até viatura

No episódio de ontem, Machado impediu os funcionários de entrarem na sede e, depois de fazer o “limpa” nos documentos, deixou o local. Sobrou para o tesoureiro do partido e aliado dele, Murilo Oliveira (foto), que saiu da casa onde funciona o PHS a bordo de uma viatura.
Agora sim: economiza e faz

O lema do deputado distrital Reginaldo Veras (PDT) é “economiza e faz”. O parlamentar abriu mão das verbas indenizatória e de correspondência e tem destinado as emendas a que tem direito para a educação pública, já que é professor da rede.

Na contramão

Enquanto a Agefis tenta combater a grilagem de terras no DF, o vice-governador Renato Santana promete regularização fundiária a quem ele chama de “representantes do setor produtivo da construção civil de Vicente Pires”. A reunião com os “empresários” foi registrada no Facebook dele (foto), na sexta-feira passada.
Mais um afago
Tudo indica que o deputado distrital Rodrigo Delmasso (Podemos) deve mesmo assumir, nos próximos dias, a pasta de Ciência e Tecnologia, que vai deixar de ser adjunta para virar secretaria mesmo. Assim, dará espaço para que Agaciel Maia (PR), enfim, assuma a cadeira de líder de governo e oficialize a posição dele na Câmara Legislativa.

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA