Trinca de ases de ouro

Foi pleno de uma alegre expectativa que pus para rodar Dos Navegantes (Biscoito Fino), trabalho conjunto de Edu Lobo (voz), Romero Lubambo (violão e guitarra) e Mauro Senise (flautas e saxes) – todos experientes, virtuosos, talentosos –, produzido por Ana Luísa Marinho (mulher de Senise).

O CD abriga onze músicas de Edu Lobo, sendo uma inédita, e dez regravações, cujos arranjos originais, escritos pelos maestros Chiquinho de Moraes, Cristóvão Bastos e Gilson Peranzzetta, foram adaptados pela trinca de ouro.

E assim, com o reforço do contrabaixista Bruno Aguilar (em dez faixas), do percussionista Mingo Araújo (uma faixa) e a participação especial do arranjador e pianista Cristóvão Bastos (uma faixa), Lobo, Senise e Lubambo reforçam a sacada da hora: num momento de crise, unir forças é o caminho que os músicos vêm trilhando. Tocar e cantar junto finda sendo bom para eles e também para o público: os músicos pelo prazer de agregar talentos e fãs, o público pela chance de curtir um trabalho inédito.

Publicidade

Entende-se a dificuldade dos três ases para resumir em onze faixas o vasto repertório de Edu; bem como deve-se louvar a escolha final: onze músicas que privilegiam suas obras menos conhecidas, mas do mais fino e puro rigor musical. São duas em parceria com Cacaso, quatro com Chico Buarque, uma com Paulo César Pinheiro, uma com Gianfrancesco Guarnieri, uma com Capinan, uma com Ronaldo Bastos e uma apenas dele.

O CD abre com “A Morte de Zambi” (EL e Gianfrancesco Guarnieri). Somando contrabaixo ao violão e à flauta baixo, um quê de melancolia reina por Zambi. Edu canta. E bem. Seus graves, mais do que seus agudos, ainda estão redondos e afinados. Fascina o seu duo com o baixo, enquanto dobra a própria voz. A harmonia de Edu Lobo, interpretada por Lubambo, encanta. Volta a voz dobrada com o contrabaixo e a flauta baixo, ela que segue em frente, apoiada por violão e baixo. A sonoridade é sedutora.

Fechando a tampa, um instrumental inédito de Edu: “Noturna”. Piano (Cristóvão Bastos) e guitarra, junto com o sax soprano, iniciam o lindo tema. O soprano sola e o piano o acompanha. A guitarra improvisa, com piano e sax dando pinta. Suave, o sax sola, com o piano apoiando-o belamente. O piano traz para si o improviso, o baixo dá suporte. A seguir, primeiro o sax e depois a guitarra improvisam. O sax retoma a melodia. A guitarra se junta a ele, noutro duo. Sax, piano e guitarra conduzem o tema ao final… Meu Deus!

Concluindo, um trecho do que escrevi sobre o CD lançado por Edu Lobo em 2008: “Como um alfaiate, agulha e linha entre os dedos, o compositor costura o pano de fundo da sua emoção. É dessa harmonia que ele extrai a alma que estimula a criação. Sobre a cama macia, harmoniosa, Edu estende o lençol da melodia feita nota por nota. E assim, inventada a harmonia, criada a melodia, nasce sua música”.

A soma desse formidável talento de Edu, com o requinte de Mauro e o esmero de Romero, orgulha a música brasileira.

Aquiles Rique Reis, vocalista do MPB4

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR