Estamos educando nossos filhos para o sucesso?

Por Paco Ragageles

Cada vez mais recorrentes, estudos apontam que milhões de empregos desaparecerão com a evolução massiva da robótica e isso será um fenômeno global progressivo. Será o fim do modelo atual de trabalho tradicional e início de uma nova percepção.

Colocando a educação como foco, gostaria de trazer algumas reflexões para esse tema: Milhares de pessoas estão se formando para cargos que no futuro não existirão mais. Isso não é muito inteligente, mas está acontecendo. Ao mesmo tempo, as pessoas ainda não aceitam a ideia de que não precisarão trabalhar no futuro. E essa é uma reflexão que devemos ter.

Publicidade

Independente de opiniões pessoais, se faz necessária a reflexão sobre este tema: imagine-se em um mundo onde daqui a 50 anos os seres humanos não precisarão trabalhar. Se isso realmente acontecer, fica a pergunta: por que então estudar? Mais do que isso, o que devemos estudar? Quais serão as formações necessárias para o futuro?

Alguns pontos hoje inimagináveis deverão ser levados em consideração: um melhor aproveitamento do tempo de cada um para dedicar-se a temas de interesse pessoal e não somente relacionados ao trabalho, temas que cultivam paixões. Além disso, haverá a preocupação em “aprender a ser feliz” aplicada na grade curricular estudantil.

Hoje pensamos: “Que besteira aprender a ser feliz! É preciso ter uma profissão e ponto final”. Pergunto se desde sempre não deveríamos colocar mais ênfase na questão do “ensinar a viver bem” do que confrontar a vida, suas virtudes, a necessidade de pensar, respirar, meditar, etc. Acredito que nos importamos muito mais em treinar bíceps do que treinar e estimular o cérebro, e isso é triste.

As próximas gerações estão a um passo deste novo mundo fascinante. Esperamos que a humanidade seja capaz de viver estas mudanças. Esperamos que esteja preparada para este novo modelo de economia que atende às grandes transformações que estão por vir.

Aproveito a oportunidade para convidá-los a pensarem em novos modelos econômicos, como o “Projeto Vênus – Economia Baseada em Recursos”. De autoria de Jacque Fresco, o projeto propõe um sistema social, holístico e econômico em que bens e serviços estarão disponíveis sem o uso de dinheiro ou crédito. Saiba mais no vídeo: https://youtu.be/PIMy0QBSQWo

 

Sobre o autor:

Futurista, o espanhol Paco Ragageles é co-fundador da Campus Party e vai palestrar sobre este tema na Campus Party Brasília, no dia 14 de junho, às 21h.

Saiba mais sobre a palestra:  http://campuse.ro/events/campus-party-brasilia-2017/talk/um-mundo-sem-trabalho-cpbsb/

 

Confira os outros artigos da Coluna Campus Party em: http://www.jornaldebrasilia.com.br/category/blogs-e-colunas/campus-party/

Cadastre-se para receber as notícias do Jornal de Brasília.

COMPARTILHAR